“Em três mandatos, eu desconheço o que ele fez de bom por Esperança”, diz Secretário sobre Arnaldo Monteiro

Ao programa Se Liga PB, na Rádio Cidade AM, o secretário de comunicação do município de Esperança, Bero, não poupou críticas ao deputado Arnaldo Monteiro.

11 de agosto de 2018   

Secretário de Comunicação e Eventos de Esperança, Bero. (Foto: Se Liga PB)

Em entrevista ao programa Se Liga PB, na Rádio Cidade AM, o secretário de comunicação do município de Esperança, Bero, não poupou as palavras em responder os principais adversários do prefeito Nobinho Almeida(PSB), especialmente a ex-prefeita Cristiana Almeida e o deputado estadual Arnaldo Monteiro(PSC). Sobre Cristiana, o secretário enfatizou que ela enquanto gestora deixou um déficit de cerca de R$ 100 mil nos cofres do município, e que não reconhece o trabalho do prefeito.

Entretanto, quando se referiu a Arnaldo Monteiro, o secretário disse desconhecer o trabalho desenvolvido pelo deputado no municípios, em seus três mandatos.”Esperança desconhece até hoje, sequer, uma propositura sequer em relação a Esperança, e também à Paraíba inteira, que é o líder da oposição aqui no município. Foram muitas dificuldades deixadas”, destacou.

“Quem vem de fora chega a fazer mais, nós temos representações hoje que tem parcerias com o governo de Nobinho, que fez muito mais por Esperança do que o deputado que se diz da terra, além da sua esposa, que assumiu um mandato e a população desconhece alguma propositura”, completou Bero.  O Secretário frisou que o deputado só parece em programas de rádio, de locutores que são seus aliados, e dificilmente a população encontra o deputado e o seu filho, o ex-prefeito Anderson Monteiro, no município.

“O ex-prefeito, me parece, que não morava aqui, praticamente. Tinha uma casa alugada em Esperança, mas a população não o encontrava, e o pai principalmente. Isso é do cotidiano”, afirmou Bero, complementando que as críticas feitas à gestão são altamente destrutivas.

Ainda sobre Cristiana, o secretário disse que ela o chama de “destruidor 2”, mas que quando ela fazia parte da gestão o chamava de “O gladiador”. A entrevista foi concedida aos jornalistas Paolloh Oliver e Alidiane Carlos, neste sábado(11).

Redação