NEPOTISMO: Em Casserengue, das cinco secretarias quatro são ocupadas pela família do prefeito

A prefeitura conta com cinco secretárias, e cada secretário recebe um salário mensal de R$ 3 mil.

10 de agosto de 2018   

Praça da matriz, no município de Casserengue. (Foto: Casserengue Notícias)

Segundo a constituição federal, o nepotismo é a prática de nomear parentes para ocupar cargos de confiança e comissionados dentro das estruturas administrativas. O portal Se Liga PB já denunciou diversos municípios que tem adotado essa prática, considerada ilegal pela justiça, mas que infelizmente muitos gestores não tem respeitado a lei nesse sentido.

No município de Casserengue, brejo paraibano, a estrutura da prefeitura conta com cinco secretárias, e cada secretário recebe um salário mensal de R$ 3 mil. O mais curioso, é que quase todas as pastas são ocupadas por parentes do prefeito Genival Bento da Silva(PSDB), mais conhecido por Dinda. Segundo uma denúncia feita pelo vereador Gilson Borges(PRB), dois filhos, um sobrinho e um genro do prefeito ocupam quatro das cinco pastas da prefeitura.

Os filhos Valter Freire e Viones Freire ocupam as secretárias de Infraestrutura e Assistência Social, respectivamente, enquanto a esposa de um sobrinho do gestor, Luana Kessia, ocupa a titularidade da Secretária de Finanças. O genro do chefe do executivo, identificado por Daniel Higino, ocupa a secretária de administração.Há ainda mais um familiar ocupando um cargo de confiança na prefeitura. Everton Costa Silva, que é sobrinho do prefeito Dinda, é Diretor de Obras e Serviços Urbanos.

Até o presente momento a nossa equipe não conseguiu fazer contato com o atual mandatário, ficando o espaço aberto para que ele faça as suas considerações.

Redação