Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Tovar pede que Exército Brasileiro regularize cronograma de pagamentos da Operação Carro-Pipa

De acordo com Tovar, a água limpa é levada pelos carros-pipas para alimentar as cisternas que são cadastradas na Operação.

Publicado: 29/04/2024

Foto: Reprodução

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou apelo feito pelo deputado Tovar Correia Lima (PSDB) para que Exército Brasileiro regularize o cronograma de pagamentos da Operação Carro-Pipa. No estado, tem-se observado um atraso considerável nos pagamentos referentes aos meses de fevereiro, março e abril de 2024, situação que compromete a continuidade do programa e o acesso à água potável por parte da população.

De acordo com Tovar, a água limpa é levada pelos carros-pipas para alimentar as cisternas que são cadastradas na Operação. Mesmo com as chuvas caídas na Paraíba, é essencial que se ofereça água de qualidade e tratada para a população.

“Esta situação causa grande preocupação, pois o atraso no cronograma de pagamento da Operação Carro-Pipa pode gerar instabilidade na distribuição de água potável para a população, impactando a saúde e o bem-estar das comunidades beneficiadas. Assim, é imperativo que o Exército regularize, com a máxima urgência, o cronograma de pagamento, evitando prejuízos à continuidade do serviço prestado pelo programa”, destacou Tovar.

Para Tovar, se faz urgente a regularização imediata dos pagamentos em atraso e uma revisão do cronograma para garantir a manutenção regular do programa Carro Pipa. “A falta de regularidade nos pagamentos pode desencorajar os prestadores de serviço e comprometer a eficiência do programa, causando ainda mais dificuldades à s populações que dependem deste serviço para seu abastecimento de água”, disse.

A Operação Carro-Pipa é uma ação emergencial do Governo Federal para levar água potável a comunidades preferencialmente rurais do Semiárido Brasileiro afetadas por seca ou estiagem, utilizando caminhões-pipa para transportar a água de fontes previamente escolhidas. A operação é coordenada pelo Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional com participação do Exército Brasileiro.

Na Paraíba, dos 135 reservatórios monitorados pela Aesa, 15 estão em situação crítica e 20 em observação.

Assessoria

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS