Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Acusado de golpe milionário, empresário Bueno Aires é flagrado curtindo São João no Parque do Povo

O empresário proprietário da Fiji é alvo inquérito suspeito de lesar clientes em aproximadamente R$ 400 milhões por meio de uma suposta pirâmide financeira.

Publicado: 03/06/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

O empresário proprietário da Fiji, alvo de inquérito suspeito de lesar clientes em aproximadamente R$ 400 milhões por meio de uma suposta pirâmide financeira, chamou atenção ao ir curtir  a festa de São João no Parque do Povo.

A presença do empresário não passou despercebida e tem sido bastante criticada nas redes sociais.

Aires é visto em uma das áreas vips do Maior São João do Mundo. As imagens circulam nas redes sociais, foram supostamente feitas ontem (02) , durante as festividades do Maior São João do Mundo, em Campina Grande.

Além da acusação de um calote milionário, Buenos Aires responde um processo por armazenamento de pornografia infantil.

Ele foi preso no dia 14 de junho de 2023, no Rio de Janeiro, pelo crime.

O empresário deixou o presídio Serrotão de Campina Grande, em agosto do ano passado, no entanto, teve que cumprir medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica.

Abuso sexual infantil 

De acordo com a Polícia Civil, foram encontrados nos dispositivos eletrônicos (computadores e eletrônicos) do suspeito imagens de crianças e adolescentes em cenas de sexo explícito. A investigação apontou ainda que algumas dessas fotos indicariam uma possível produção, isto é, alguém que teria produzido as fotos e não simplesmente baixado já prontas da internet.

Crimes contra o sistema financeiro

Em abril deste ano, a 2ª Vara Cível de Campina Grande, atendendo a pedido do Ministério Público da Paraíba, bloqueou R$ 399 milhões da Fiji Solutions. A justiça tinha mandado também apreender as CNH e os passaportes dos envolvidos para evitar que eles fugissem do país.

Bueno Aires e mais dois sócios são suspeitos de aplicar golpes milionários em clientes que firmaram com a empresa contratos de criptomoedas.

A Fiji Solutions também foi alvo, em 15 de junho, de operação da Polícia Federal que apura suspeita de crimes contra o sistema financeiro. Na ocasião, três pessoas foram presas e oito mandados de busca e operação foram cumpridos.

Com ClickPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS