ALPB debate saúde mental dos jovens durante Sessão Especial

SAÚDE MENTAL DOS JOVENS

Publicado: 26/06/2022

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, no início do mês, uma sessão especial para debater sobre a Saúde Mental dos Jovens. O tema foi proposto pela deputada Rafaela Camaraense e contou com a participação da deputada Camila Toscano, do secretário de Estado da Juventude Esporte e Lazer, Zezinho do Botafogo, além de psicólogos, psiquiatras e profissionais da área.

Rafaela Camaraense demonstrou preocupação com a saúde mental, principalmente, dos jovens e destacou que a pandemia da Covid-19 contribuiu para agravar ainda mais os casos de ansiedade, depressão, síndrome do pânico, automutilação e suicídio, que já afetam de forma intensa a juventude.

Para a parlamentar, o debate promovido pelo Poder Legislativo tem a missão de cuidar do futuro, garantindo a saúde mental da nova geração para que esta seja produtiva. “A saúde mental deve ser tratada com prioridade, principalmente, aqui no estado da Paraíba, onde temos mais de 1 milhão de jovens. Durante a pandemia, o jovem foi retirado do seu convívio social, do seu ambiente escolar e isso contribuiu para que esses jovens viessem a desenvolver alguns transtornos mentais que precisam de cuidados”, argumentou a deputada.

A deputada Camila Toscano afirmou que a sessão especial é o momento que o Poder Legislativo se decida a promover soluções para uma problemática tão relevante como a saúde mental. “Jovens e adolescentes estão perdendo sua saúde mental e, consequentemente, perdendo suas vidas. Essa pessoas deixam de viver por não não terem a perspectiva de futuro e tudo isso se agravou ainda mais com a pandemia, sem saber quando tudo seria normalizado. Isso afeta a saúde mental das pessoas e é importante que o poder público adote ações nesse sentido e a Assembleia precisa olhar para este tema e vê-lo como algo de extrema relevância”, declarou a deputada.

O secretário de Estado da Juventude, Esporte e Lazer, Zezinho do Botafogo, parabenizou a deputada Rafaela Camaraense por propor o tema da saúde mental dos jovens no âmbito do Poder Legislativo. “Debates desse nível vêm com o intuito de contribuir e nos ajudar com ideias e com o enriquecimentos da elaboração de políticas públicas. O que estamos vivenciando no Brasil e no mundo tem sido a perda dos jovens e todos temos que olhar de forma diferente e dar a nossa contribuição”, declarou o secretário.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos do Conselho Regional de Psicologia da Paraíba, Vinícius Soares, chamou atenção para o desafio de tratar da saúde mental dos jovens. Para Vinícius, de acordo com o mapa da violência, os jovens são aqueles que mais morrem no Brasil. Os dados apresentados apontam que a maioria desses jovens são assassinados e oriundos da periferia.

“Precisamos fortalecer as políticas públicas de saúde, defender o SUS. Não se faz saúde mental sem pensar em trabalho, sem pensar educação, esporte, sem pensar em todo acesso aos direitos que estão previstos em nossa Constituição como básicos. É nesse sentido que essa Casa precisa pensar políticas assertivas que garantam o bem estar da nossa juventude, a oferta dos serviços e à prevenção a esse adoecimento”, defendeu.

Representante a Gerência Operacional Psicossocial do Estado da Paraíba, Jefferson Thales, alertou as famílias para as mudanças no comportamento dos jovens que apresentam problemas de saúde mental. Segundo ele, é preciso estar atento a qualquer alteração na rotina do adolescente e buscar a ajuda dos profissionais caso perceba que exista essa necessidade.

Também participaram da sessão especial a secretária executiva de Estado da Juventude, Esporte e Lazer, Madu Ayá; a coordenadora de Residência da Saúde Mental da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Roberta Rocha; o presidente do Conselho Nacional da Juventude, Marcos Barão; o presidente do Instituto Nacional de Pesquisa, Aprendizagem e Integração, Demétrius Mendes; o coordenador do Eixo Esporte, Cultura e Lazer e representante da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente da Paraíba (Fundac-PB) Nilton Santos; e do Major Helmer, da Coordenadoria de Integração Comunitária dos Direitos Humanos da Polícia Militar da Paraíba.


Com Assessoria ALPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS