Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Braiscompany: Justiça Federal condena ex-diretor da empresa a 36 anos de prisão

Essa é a 12ª condenação no caso envolvendo a empresa de Antônio Neto Ais e Fabrícia Ais, sócios que foram encontrados na Argentina com a ajuda da Interpol.

Publicado: 12/03/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

A Justiça Federal na Paraíba condenou Victor Hugo Lima Duarte, ex-diretor da Braiscompany, empresa investigada por crimes contra o sistema financeiro. Conforme a sentença do juiz Vinícius Costa Vidor, da 4ª Vara Federal em Campina Grande, ele foi condenado a 36 anos e 8 meses de prisão e teve a prisão preventiva mantida. Atualmente, Victor Hugo está preso no Complexo do Serrotão, em Campina Grande, após ter sido extraditado da Argentina.

Na decisão do juiz, foi ressaltada a atuação do ex-diretor como operador financeiro de um dos donos da empresa, Antônio Neto Ais. Conforme o documento, Victor Hugo Lima foi responsável pela “captação e gestão de carteira de clientes de mais de cinco milhões de reais e realizando movimentação contínua de ativos financeiros desviados de clientes em suas contas pessoais em favor dos mentores do esquema criminoso”.

Os crimes que o juiz imputou para Victor Hugo na sentença que o condenou a 36 anos e 8 meses de prisão foram os seguintes:

  • Operar instituição financeira sem autorização;
  • Emissão, oferecimento ou negociação irregular de títulos ou valores mobiliários;
  • Apropriação indébita financeira;
  • Lavagem de capitais;
  • Organização criminosa.

A pena do ex-diretor é a terceira maior entre os 12 réus condenados no caso pela Justiça até o momento.

O processo envolvendo Victor Hugo foi desmembrado em relação ao processo principal que condenou o dono da empresa de criptomoedas.

O advogado que representa o ex-diretor, Matheus Lima, informou que recorrerá da decisão ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). Ele também adiantou que ingressará com um habeas corpus pedindo que o ex-diretor responda ao processo em liberdade.

Por g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS