Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

CPI para investigar fraudes no Hospital Padre Zé é apresentada na Assembleia Legislativa da Paraíba

CPI deve auxiliar os órgãos envolvidos na investigação a identificar os responsáveis pelos supostos crimes.

Publicado: 24/10/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

O deputado estadual Wallber Virgolino (PL) apresentou, na manhã desta terça-feira (24), um pedido para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar fraudes no Hospital Padre Zé, em João Pessoa.

De acordo com o parlamentar, a CPI tem o objetivo de auxiliar os órgãos envolvidos na investigação, como o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) a identificar os responsáveis pelos supostos crimes.

Walber também pediu que o ex-funcionário do Hospital Padre Zé e delator do esquema, Samuel Segundo e o Padre Egídio, sejam incluídos no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas

Além de Virgolino, o documento já foi assinado por George Morais (União), Anderson Monteiro (MDB), Sargento Neto (PL), Taciano Diniz (União) e Michel Henrique (Republicanos).

Investigação

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) está investigando desvio de recursos públicos do Instituto São José, do Hospital Padre Zé e da Ação Social Arquidiocesana/ASA, em João Pessoa.

Eram cerca de 100 celulares doados pela Receita Federal, que custavam entre 2,5 mil até 7 mil reais e foram furtados.

Durante as investigações, Samuel era coordenador de Tecnologia da Informação do hospital. Ele foi preso e liberado em seguida. Ele é o principal suspeito dos furtos.

Ainda de acordo com as investigações, o ex-diretor do Hospital Padre Zé, Padre Egídio Carvalho, teria desviado cerca de R$ 13 milhões em empréstimos feitos utilizando o nome da unidade hospitalar. 

Portal Correio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS