Hospital de Bayeux é interditado pelo Conselho Regional de Medicina

Conforme o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, o órgão aguarda da Diretoria Técnica do hospital entregar a escala completa de plantões.

8 de novembro de 2018   

Os médicos do Hospital Materno Infantil João Marsicano, localizado no Centro de Bayeux, estão impedidos de prestar atendimento na unidade hospitalar desde a 0h da última quarta-feira (7). A interdição ética foi feita pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) na tarde da última terça-feira (6), após informações de que a Vigilância Sanitária havia interditado o bloco cirúrgico e a central de esterilização do hospital, impedindo a realização de procedimentos e cirurgias.

Conforme o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, o órgão aguarda da Diretoria Técnica do hospital entregar a escala completa de plantões de pediatras, obstetras e anestesistas, assim como registre o nome do diretor técnico responsável pela unidade hospitalar no CRM.

“Verificamos que há médicos que estão com plantões de 36h corridas. Isso é humanamente impossível. Um plantão é 12h. O médico está sobrecarregado porque faltam profissionais no hospital”, informou.

A interdição ética realizada pelo CRM -PB impede, exclusivamente, o médico de atender na unidade hospitalar. A medida tem o objetivo de preservar um atendimento médico de qualidade à população e também a segurança do ato médico. Entre os motivos da interdição estão problemas estruturais. Já a Secretaria de Saúde de Bayeux informou que os problemas encontrados nas áreas interditadas estão sendo solucionados.

PB AGORA.