Programa Prato Cheio beneficia 17 municípios da Paraíba

O projeto está sendo lançado em fases de acordo com uma ordem crescente de IDH e a quantidade de doações coletadas.

16 de julho de 2021   

Banner Ilustrativo

Dezessete cidades paraibanas já foram beneficiadas pelo projeto ‘Municípios: Prato Cheio para o Desenvolvimento’ nas suas três primeiras fases. Ao todo no Brasil foram beneficiadas mais de 200 mil famílias. A iniciativa é desenvolvida pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) e a Associação dos Membros de Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) com o apoio do Sebrae Nacional, da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR) e das Fundações Banco do Brasil e Hermann Hering .

O projeto tem como público-alvo os municípios brasileiros com menos de 50 mil habitantes e IDH baixo que se caracterizam como os mais vulneráveis do país e que tem maior dificuldade de acesso às políticas sociais. O projeto está sendo lançado em fases de acordo com uma ordem crescente de IDH e a quantidade de doações coletadas.

Para o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho, a iniciativa do projeto é fundamental, sobretudo no momento de pandemia causada pelo coronavírus em que afetou especialmente as famílias mais vulneráveis. De acordo com George, os gestores municipais estão tendo que enfrentar o duplo desafio de manter a capacidade dos serviços de saúde e também o atendimento a uma demanda crescente da população mais carente por auxílios sociais.

“O isolamento social provocou uma brusca freada na atividade econômica e isso impediu que essa população mais carente conseguisse obter pelo menos uma renda mínima, passando a ser dependente dos programas públicos para sobreviver. E nesse momento, o projeto ‘Municípios: Prato Cheio para o Desenvolvimento’ chega para contribuir significativamente com os gestores, mas principalmente com as famílias mais necessitadas”, disse o presidente da Famup.

Para participar do projeto, os municípios devem incluir na parte restrita do site (https://pratocheio.cnm.org.br/index.php ) a lista de famílias a serem beneficiadas. Vale lembrar que a quantidade de famílias permitida varia de acordo com o IDH e a quantidade de habitantes de cada município que têm um prazo em cada fase para colocar apresentar a lista de famílias. Apenas os municípios que cumprirem essa etapa dentro do prazo estabelecido, de fato, serão contemplados pelo projeto.

Os municípios devem ficar atentos já que após o término do prazo do cadastro de famílias, serão definidos parceiros locais para cada cidade. Eles serão responsáveis por receber o cartão Alelo do município e fazer as compras. Geralmente, esses parceiros são as associações comerciais do estado ou do município.

Famílias paraibanas beneficiadas por município:

2ª Fase

  1. Araçagi – 620
  2. Aroeiras – 678
  3. Capim – 300
  4. Cruz do Espírito Santo – 600
  5. Curral de Cima – 301
  6. Dona Inês – 451
  7. Lastro – 245
  8. Manaíra – 461
  9. Marcação – 375
  10. Mari – 750
  11. Mataraca – 375
  12. Matinhas – 224
  13. Natuba – 436
  14. Poço Dantas – 225
  15. Santa Cecília – 300
  16. São João do Tigre – 269
  17. São José da Lagoa Tapada – 375

Com Assessoria Famup