Secretário de Romero diz que Médica foi induzida ao erro por rejeitar título de cidadania da Câmara de CG

Em entrevista a Rádio Caturité AM, Ludgério, que é esposo da presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereadora Ivonete Ludgério (PSD), disse que a médica , foi induzida ao erro.

4 de outubro de 2017   

Foto/Reprodução

O secretário chefe de gabinete da Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG), Manoel Ludgério, lamentou a postura da médica Adriana Melo, primeira médica a apresentar provas de relação entre o vírus da zika e casos de microcefalia no município, de rejeita o título de Cidadania Campinense

Em entrevista a Rádio Caturité AM, Ludgério, que é esposo da presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereadora Ivonete Ludgério (PSD), disse que a médica , foi induzida ao erro.

Recentemente, a especialista rejeitou o título de cidadã campinense aprovado pela Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG), pois a Casa de Félix Araújo rejeitou uma emenda apresentada pelo vereador Olímpio Oliveira (PMDB) concedendo uma subvenção de R$ 5 mil ao Ipesq, que é o instituto coordenado por Adriana.

– Doutora Adriana Melo, com muita sinceridade, foi induzida ao erro. Projeto que foi para a Câmara, é preciso que a sociedade entenda, foi um projeto para as entidades filantrópicas, a exemplo da Casa João Moura e do São Vicente de Paulo. O órgão que é administrado pela doutora é um órgão de pesquisa, o prefeito Romero está elaborando não apenas para o instituto de pesquisa dela, mas para outros órgãos semelhantes. Então não cabia naquele instante, naquele projeto, qualquer subvenção para o instituto de pesquisa, mas apenas para casas de caridade. Por falta de conhecimento da atividade legislativa a doutora Adriana saiu com aquela declaração. Eu respeito o ponto de vista dela, mas eu imagino que a essas alturas ela tenha entendido que não houve má vontade da Câmara e nem houve do prefeito Romero – comentou Ludgério.

As informações são do site PBAgora