Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Google proíbe impulsionamento de conteúdo eleitoral em 2024

Decisão foi em resposta às exigências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para as campanhas eleitorais deste ano.

Publicado: 24/04/2024

Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann

A partir do dia 1º de maio, nenhum conteúdo de candidatos nas eleições municipais de 2024 poderá ser impulsionado no Google. A decisão foi em resposta às exigências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para as campanhas eleitorais deste ano.

O Tribunal exige às Big Techs a criação de um painel para monitoramento de todos os anúncios publicados, na resolução 23.732/24:

I – manter repositório desses anúncios para acompanhamento, em tempo real, do conteúdo, dos valores, dos responsáveis pelo pagamento e das características dos grupos populacionais que compõem a audiência (perfilamento) da publicidade contratada e;

II – disponibilizar ferramenta de consulta, acessível e de fácil manejo, que permita realizar busca avançada nos dados do repositório.

Mesmo que esse painel já exista, a ampliação da ferramenta sairia mais caro para as empresas. Por isso, a decisão da plataforma Google foi barrar o impulsionamento durante o período das eleições.

A exigência também já existia, mas o TSE ampliou a determinação sobre o que deve ser monitorado. Com isso, as empresas que não cumprirem o requerido, correm o risco de serem acusadas de negligências.

A publicidade governamental não será barrada, ou seja, conteúdos que não tenham ligação direta com as eleições serão impulsionados normalmente.

Portal Correio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS