Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Homem acusado de matar ex-companheira no Rio de Janeiro é preso em Campina Grande

Na época do crime, Nayron chegou a procurar a polícia do Rio de Janeiro para denunciar o desaparecimento da esposa.

Publicado: 27/03/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

Um homem acusado de matar e esconder a companheira debaixo da cama por 12 dias foi preso na tarde dessa terça-feira (26), no Hospital de Trauma de Campina Grande, no Agreste da Paraíba, após ser reconhecido por um familiar da vítima. O crime teria acontecido em 2016, no Rio de Janeiro.

O homem, identificado como Nayron Vilar da Silva, é acusado de matar Tayza Salustino dos Santos. O casal de paraibanos viviam juntos por 5 anos e tiveram um filho. Nayron teria se mudado para o Morro do Urubu, em Pilares, no Rio de Janeiro, levando a Tayza e seu filho em seguida.

Segundo informações policiais, a vítima passou a ser agredida constantemente pelo marido devido a situações de ciúmes. Ela acabou sendo morta por ele no dia 16 de maio de 2016, vítima de estrangulamento. Em seguida, Nayron ocultou o cadáver por 12 dias debaixo da cama.

Na época do crime, Nayron chegou a procurar a polícia do Rio de Janeiro para denunciar o desaparecimento da esposa. Segundo ele, Tayza teria saído para procurar um emprego e desde então estava desaparecida

Durante as investigações, Nayron acabou sendo preso e condenado pela Justiça do Rio de Janeiro. Só que em razão da Defensoria Pública, o julgamento foi anulado em 2019, o deixando ficar em liberdade. Foi então que o homem decidiu retornar para a Paraíba. Em 2023, ele chegou a ser condenado novamente a 16 anos de prisão, mas não respondeu a justiça e ficou foragido.

De acordo com a delegada Suelene Souto, Nayron estava acompanhando a namorada em um atendimento médico no Hospital de Trauma de Campina Grande quando foi reconhecido por um familiar da vítima.

O parente de Tayza procurou a delegacia, alegando que havia encontrado o homem que teria matado a sua ex mulher. A partir da denuncia, os policiais do núcleo de homicídios foi até o hospital com posse de um mandado de prisão pelo cometimento de um homicídio.

Nayron segue preso no presídio do Serrotão, em Campina Grande, aguardando a decisão judicial.

Portal Correio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS