Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

João Azevêdo e Pedro Cunha Lima disputam segundo turno para governador da Paraíba

Resultado foi definido com 97,57% de votos apurados.

Publicado: 02/10/2022

Foto: Amy Nascimento/TV Paraíba

Os candidatos João Azevêdo (PSB) e Pedro Cunha Lima (PSDB) vão disputar o governo da Paraíba no segundo turno das Eleições 2022. O resultado foi definido com 97,57% de votos apurados.

Veja perfil e principais propostas de João Azevêdo

João Azevêdo (PSB) é natural de João Pessoa e é engenheiro civil formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem 69 anos e entrou mais tardiamente na vida política. Foi secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia da Paraíba entre 2011 e 2018 e só deixou o cargo para concorrer ao Governo da Paraíba. Naquele ano, foi eleito governador em primeiro turno em sua primeira disputa eleitoral e agora tenta à reeleição para mais quatro anos no Governo da Paraíba.

O PSB de João conseguiu se filiar com mais nove legendas: Agir, PP, Avante, PMN, PSD, Solidariedade, Podemos, Republicanos e Patriota. O vice-governador da chapa é Lucas Ribeiro, atual vice-prefeito de Campina Grande e filho da senadora Daniella Ribeiro (PP). Do mesmo partido do candidato a governador, Pollyana Dutra (PSB) foi a candidata ao Senado na chapa majoritária.

Durante o primeiro turno, João Azevêdo focou muito em sua resposta à pandemia de Covid-19 e disse que vai trabalhar para manter os bons serviços existentes no estado e melhorar aqueles que precisam de ajustes. João tentou ligar a própria imagem ao candidato a presidente Lula (PT), mas não recebeu o apoio do petista. Em compensação, recebeu apoio público de Geraldo Alckimin (PSB), candidato a vice-presidente na chapa de Lula.

O plano de governo de João Azevêdo lista uma série de medidas que ele pretende cumprir. Entre elas, a realização de concursos públicos para profissionais de educação, saúde e segurança, e a criação de políticas para igualdade racial e de proteção às mulheres e à população LGBTQIAP+.

Segundo o documento, as diretrizes do plano de governo de João Azevêdo se baseiam em três eixos: boa governança, princípios sustentáveis e inteligência e inovação. Ao todo, o plano traz 166 propostas em diversas áreas, como educação, saúde, segurança e assistência social.

Veja perfil e principais propostas de Pedro Cunha Lima

Pedro Cunha Lima (PSDB) é natural de Campina Grande. Formado em Direito e mestre em Direito Constitucional pela Faculdade de Coimbra, em Portugal. Na vida política, está em seu segundo mandato como deputado federal, tendo sido eleito em 2014 e reeleito em 2018. Vem de uma tradicional família de políticos, sendo filho e neto, respectivamente, dos ex-governadores Cássio Cunha Lima e Ronaldo Cunha Lima. Com 34 anos, é a primeira vez que concorre a um cargo do Poder Executivo.

O PSDB de Pedro firmou federação com o Cidadania e se coligou ainda com mais seis legendas: PDT, União Brasil, PMB, PSC, PTB e Pros. O vice-governador da chapa é o ex-deputado federal Domiciano Cabral (Cidadania). O candidato do União Brasil, Efraim Filho, fechou a chapa majoritária.

Durante o primeiro turno, o candidato tucano destacou em mais de uma oportunidade que a prioridade principal de sua gestão vai ser a educação, a partir de um modelo que existiria no Ceará e que ele pretende copiar no estado. Ele defendeu também um rígido trabalho de economia de gastos públicos. Pedro teve os apoios dos candidatos à Presidência Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB).

O plano de governo de Pedro Cunha Lima tem 34 páginas com medidas que o candidato pretende cumprir. Entre os principais planos, estão a criação de programas na área da educação, como a Carteira Nacional de Habilitação Estudantil e a concessão de bolsas para estudantes em vulnerabilidade social, no ensino superior; além de programas assistenciais, como o ‘Auxílio Moradia’ para mulheres vítimas de violência.

Segundo o documento, os eixos do plano de governo de Pedro Cunha Lima se baseiam em cinco dimensões: bem estar social; dinamismo econômico; meio ambiente e sustentabilidade; agenda transversal e governança pública. As propostas se dividem em áreas como saúde, segurança, habitação, turismo e cultura.

Por g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS