Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Justiça aceita nova denúncia do Ministério Público contra Padre Egídio e ex-funcionário do Padre Zé

Órgão ministerial pediu a condenação de Egídio e do ex-funcionário Samuel Segundo pelo sumiço de cerca de 100 celulares doados à instituição.

Publicado: 29/05/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

A Justiça da Paraíba aceitou uma nova denúncia do Ministério Público contra o padre Egídio de Carvalho Neto, relacionada ao período em que o sacerdote foi diretor da unidade hospitalar.

Nesta denúncia, o órgão ministerial pede a condenação de Egídio e do ex-funcionário Samuel Rodrigues da Cunha Segundo, por apropriação indébita. Eles estariam envolvidos no sumiço de cerca de 100 aparelhos celulares que tinham sido doados à instituição pela Receita Federal.

Diante da acusação, o Ministério Público também pediu o pagamento de indenização de R$ 525,8 mil por danos materiais, além de R$ 1 milhão por danos morais coletivos.

Denúncia desencadeou investigação

O furto dos celulares foi o fato que deu início à investigação sobre fraudes na administração do Hospital Padre Zé.

Na época, Egídio, ainda diretor da instituição, denunciou Samuel, que era operador de tecnologia da informação, por furto qualificado. Após a denúncia, Padre Egídio renunciou a direção do hospital. Samuel chegou a ser preso, mas foi solto dias depois.

Portal Correio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS