Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Mais de 11,4 mil eleitores vão às urnas escolher novo prefeito no mês que vem, em Massaranduba

Os mais de 11,4 mil eleitores vão às urnas porque o prefeito e o vice, respectivamente, Paulo Fracinette e Tiago Itamar, foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Publicado: 03/02/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

Mais de 11,4 mil eleitores terão que ir às urnas no próximo dia 3 de março para escolher um novo prefeito para a cidade de Massaranduba em uma eleição suplementar. A eleição ocorre sete meses antes do pleito oficial, em outubro deste ano, quando de novo a população apta a votar voltará para eleger prefeito, vice e vereadores.

A eleição entra na reta final com um calendário que movimenta a cidade e a Justiça Eleitoral. Até o dia 12, por exemplo, todos os candidatos registrados devem ter suas postulações julgadas.

Também nesta data, será o último dia para o período de substituição de candidatos, exceto em caso de falecimento, caso em que poderá ser efetivado após essa data, observado, em qualquer situação, o prazo de até dez dias contados do fato ou da decisão judicial que deu origem à substituição.

Dos mais de 11,4 mil eleitores, 52% são mulheres

O perfil do eleitorado de Massaranduba mostra que 52% são mulheres e, a maioria está entre 25 e 29 anos. A maior parte dos eleitores da cidade (33,5%) tem apenas o ensino fundamental incompleto. Apenas 1,87% têm ensino superior completo.

Calendário eleitoral

A partir do 17 de fevereiro, nenhum candidato poderá ser detido ou preso, salvo no caso de flagrante delito. Já com relação aos eleitores, o dia 27 de fevereiro é a data a partir da qual e até 48 horas depois da eleição, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo conduto.

Mais de 11,4 mil eleitores vão às urnas porque prefeito foi cassado

Os mais de 11,4 mil eleitores vão às urnas porque o prefeito e o vice, respectivamente, Paulo Fracinette e Tiago Itamar, foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) em setembro do ano passado, após serem condenados por captação ilícita de votos, com a promessa de pagamento de dinheiro em troca de votos, nas eleições de 2020.

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) contra o prefeito e o vice foi feita pelo então candidato João Costa (PL). Nela, foi relatado que 14 pessoas teriam transferido o domicílio eleitoral para Massaranduba em troca de favores para votar em Paulo Fracinette.

Em recurso ao TRE-PB, a defesa de Paulo Fracinette e Tiago Itamar questionou a decisão de primeira instância e relacionou contradições nas provas que substanciam a condenação.

Com Nice Almeida/ClickPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS