Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Ministra autoriza doação de imóveis da União para destinar à novas moradias na Paraíba

A parceria inclui ainda iniciativas inovadoras como a implementação de soluções tecnológicas, apoio técnico e cursos da Enap.

Publicado: 02/07/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

A Ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), Esther Dweck, oficializou nesta terça-feira (02) a implementação do Programa Imóvel da Gente na Paraíba, durante cerimônia realizada no Teatro Paulo Pontes, em João Pessoa, com a presença do governador João Azevêdo (PSB).

O “Programa Imóvel da Gente” visa a destinação estratégica de imóveis da União para políticas públicas prioritárias, considerando sua função social e ambiental, promovendo o diálogo federativo e com a sociedade para benefício da população paraibana.

Entre as ações previstas estão:

  • Melhorias no acesso às praias de Cabedelo e João Pessoa;
  • Recuperação do Estádio de futebol Francisco Figueiredo de Lima, em Cabedelo/PB;
  • Fortalecimento do Hospital Regional Santa Filomena, em Monteiro/PB;
  • Cessão do edifício do Ipase para a entidade União por Moradia Popular da Paraíba, no âmbito do programa Minha Casa Minha Vida, beneficiando 50 famílias;
  • Destinação de terreno para a entidade União Campinense das Equipes Sociais, também no programa Minha Casa Minha Vida – Parcerias, beneficiando 40 famílias.

A parceria inclui ainda iniciativas inovadoras como a implementação de soluções tecnológicas, apoio técnico e cursos da Enap nas áreas de licitações, contratos, orçamento, finanças e transformação digital. O objetivo é otimizar o uso de recursos e melhorar a eficiência dos serviços públicos estaduais.

Durante a coletiva, a ministra destacou os planos para revitalização do Centro Histórico de João Pessoa, ressaltando a importância do programa para a restauração de centros urbanos e a habitação social.

Por sua vez, o governador João Azevêdo enfatizou o potencial do Nordeste e a importância do diálogo na formulação de políticas públicas com o Governo Federal, citando a abertura para discutir demandas regionais.

Portal Correio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS

Rolar para o topo