Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Ministra do STJ concede liminar e prefeito de São Mamede preso por corrupção; gestor voltará ao cargo

Doutor Jefferson conseguiu ser solto no dia 26 de agosto, porém permaneceu afastado do cargo de prefeito mesmo após ter conseguido a liberação da prisão.

Publicado: 01/12/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Daniela Teixeira, concedeu uma liminar ao prefeito de São Mamede, no Sertão paraibano, Umberto Jefferson de Morais Lima, o Dr. Jefferson. O gestor voltará ao cargo após ser preso pela Polícia Federal, acusado de corrupção.

No dia 15 de agosto, o gestor foi alvo da Operação  “Festa no Terreiro 2” realizada pela Polícia Federal e pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB). Na ocasião ele foi preso e afastado do cargo.

O objetivo da operação foi combater esquema de direcionamento de licitações, desvios de recursos públicos, corrupção e lavagem de dinheiro. Na ocasião da prisão, a Polícia Federal esclareceu que também havia sido determinado o afastamento de dois servidores de seus cargos públicos e o sequestro de bens no valor equivalente a R$ 5.187.359,94. 

Os crimes investigados durante a operação são frustração do caráter competitivo de licitação, violação de sigilo em licitação, afastamento de licitante), fraude em licitação ou contrato, peculato, corrupção passiva e corrupção ativa, além de lavagem de dinheiro. 

Prefeito já foi alvo de mandados na primeira fase

Durante a primeira fase da ‘Festa no Terreiro’, em março deste ano, o prefeito de São Mamede já havia sido alvo da Polícia Federal. À época, as investigações da PF apontaram que o Dr. Jefferson, usaria o código “Festa no Terreiro” para se referir aos dias que ocorreriam licitações fajutas, realizadas pela administração municipal.

Gravações, realizadas pela PF e pelo Gaeco teriam captado a ação do gestor. Após ser alvo de mandados de busca e apreensão pela Polícia Federal naquela época, Dr. Jefferson revelou surpresa com a ação e negou possíveis irregularidades em seu patrimônio. No apartamento do gestor a polícia teria tido acesso a computadores.

Os crimes investigados durante a operação são frustração do caráter competitivo de licitação, violação de sigilo em licitação, afastamento de licitante), fraude em licitação ou contrato, peculato, corrupção passiva e corrupção ativa, além de lavagem de dinheiro. 

Prefeito já foi alvo de mandados na primeira fase

Durante a primeira fase da ‘Festa no Terreiro’, em março deste ano, o prefeito de São Mamede já havia sido alvo da Polícia Federal. Como trouxe o ClickPB à época, as investigações da PF apontaram que o Dr. Jefferson, usaria o código “Festa no Terreiro” para se referir aos dias que ocorreriam licitações fajutas, realizadas pela administração municipal.

Gravações, realizadas pela PF e pelo Gaeco teriam captado a ação do gestor. Após ser alvo de mandados de busca e apreensão pela Polícia Federal naquela época, Dr. Jefferson revelou surpresa com a ação e negou possíveis irregularidades em seu patrimônio. Conforme apurou o ClickPB, no apartamento do gestor a polícia teria tido acesso a computadores.

Redação com ClickPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS