Incêndio mata mais de 80 pessoas em hospital para Covid-19

Esta é mais uma desgraça em um país de 40 milhões de pessoas cujo sistema de saúde nunca se recuperou de quatro décadas de guerra.

25 de abril de 2021   

O incidente foi causado por cilindros de oxigênio “armazenados sem respeitar as condições de segurança” no hospital Ibn al-Khatib em Bagdá, disseram fontes médicas à AFP. (Foto: Reprodução)

Pelo menos 82 pessoas morreram e 110 ficaram feridas no domingo (25) antes do amanhecer em um incêndio em um hospital para pacientes com covid-19 em Bagdá, um drama que provocou a ira dos iraquianos e pede a renúncia dos responsáveis.

O incidente foi causado por cilindros de oxigênio “armazenados sem respeitar as condições de segurança” no hospital Ibn al-Khatib em Bagdá, disseram fontes médicas à AFP.

“O Ministério do Interior anuncia a morte de 82 pessoas e 110 feridos no incêndio acidental” do hospital, disse ele em um comunicado divulgado pela mídia estatal.

Muitas vítimas estavam sob ventilação quando os cilindros de oxigênio explodiram, causando um incêndio que se espalhou rapidamente, de acordo com médicos e bombeiros.

Um primeiro balanço, de fontes médicas, relatou 23 mortes e, posteriormente, um segundo, com uma fonte oficial, aumentou para 53 mortes.

Essa tragédia gerou uma onda de raiva entre os iraquianos, depois que fontes médicas a atribuíram à negligência, muitas vezes ligada à corrupção endêmica que assola o país. “Renúncia do Ministro da Saúde” liderou as palavras-chave no Twitter no Iraque.

Esta é mais uma desgraça em um país de 40 milhões de pessoas cujo sistema de saúde nunca se recuperou de quatro décadas de guerra.

O primeiro-ministro Mustafa Al Kazimi anunciou três dias de luto nacional e a abertura de “uma investigação imediata”, cujos resultados ele deseja “em 24 horas”.

O primeiro-ministro suspendeu de suas funções o chefe da saúde do setor oriental de Bagdá, o diretor do hospital e os chefes de segurança e manutenção técnica. Eles estão sendo interrogados e ninguém, disse ele, poderá ser libertado “até que os culpados sejam julgados”.

Por R7.com

LEIA MAIS: