Médico do município de Remígio, Geovanne Ítalo, explica qual a diferença entre os sintomas da H3N2 e da Covid-19

O médico reforçou a importância do uso da máscara e de se manter os cuidados e orientações dos profissionais da saúde a fim de evitar uma infecção respiratória.

Publicado: 14/01/2022

Foto: Reprodução/ Rede Social

O médico plantonista do Pronto Atendimento da cidade de Remígio, Geovanne Ítalo, em uma participação no Programa Se Liga PB da manhã desta sexta-feira, 14, falou sobre o surto de H3N2 que está acontecendo e explicou qual a diferença dos sintomas da H3N2 para os da Covid-19.

O médico que presta assistência no Centro de Covid do município, disse que a H3N2, é uma variante do vírus da gripe que está circulando em todo território nacional.

“Infelizmente é um surto novo que está tendo do vírus da gripe e os sintomas são parecidos com os sintomas da Covid”, disse.

Segundo o médico, apesar de os sintomas serem muito parecidos, a gripe tem um quadro que começa de forma muito cedo. Normalmente depois de um ou dois dias do começo dos sintomas, a pessoa tem uma dor de cabeça muito forte, febre que pode chegar a 39 graus, dores no corpo, mal-estar, tosse, coriza, congestão nasal e dor de garganta.

No quadro da covid-19, ainda segundo Geovanne, os sintomas são bem parecidos. Febre, tosse persistente, espirros, dor de cabeça, coriza, porém, os sintomas se intensificam depois do quarto ou quinto dias iniciais e podem vir associados da perda de olfato e paladar, que não é uma perda parcial como pode acontecer na gripe, mas perda total.

“Esses sintomas podem ser avaliados pelos médicos das unidades básicas e a partir de aí traçar a conduta e o tratamento”, pontuou.

O médico reforçou a importância do uso da máscara e de se manter os cuidados e orientações dos profissionais da saúde a fim de evitar uma infecção respiratória.

A Secretária de Saúde do município, a enfermeira Andrea Alves, em entrevista ao Programa Se Liga PB na manhã desta sexta-feira, 14, ressaltou a importância do reforço nos cuidados e orientou como proceder quanto aos sintomas gripais, evitando a superlotação nas Unidades de Pronto Atendimento, uma vez que, é para casos de Urgência e Emergência.

“Só procure o Pronto Atendimento em caso de Emergência”, frisou.

Nos casos de surgirem os sintomas, o recomendado, segundo a enfermeira, é se dirigir a Unidade Básica de Saúde, a atenção primária nos PSFs, e assim se fazer os encaminhamentos necessários e cabíveis.

“As pessoas não precisam se desesperar e se dirigir até o serviço de Pronto Atendimento com esses sintomas, mas se dirigir as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Tem médicos nos PSFs para orientar”, pontuou.

Tanto o médico, Dr. Geovanne ítalo, quanto a Secretária de Saúde, reforçam a importância da imunização e da vacina para o controle da pandemia e a prevenção de óbitos pela Covid-19.

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS