Presidente da Câmara de Montadas ameaça com punição de “poder de polícia” quem apresentar “comportamento descomunal de emoção”. A regra serve para ele também?

Cássio foi acusado de agredir verbalmente uma professora de Língua Inglesa

10 de outubro de 2017   

Cássio Avelino é presidente da Câmara de Montadas. Foto/redes sociais.

Em nota postada no portal da Câmara Municipal de Montadas, o presidente Cássio Avelino (PSD) tentou explicar o lamentável acontecimento na última sessão ordinária, que aconteceu ontem (09). Uma professora de língua inglesa narrou que estava no ROLL da casa legislativa discutindo o projeto “Escola sem Partido”, propositura do próprio presidente, quando foi ofendida pelo chefe do legislativo com as palavras de “insignificante e incompetente”.

Por outro lado, Cássio explicou que após o encerramento a 21º Sessão Ordinária – que por sinal, “não abordava sobre o projeto acima mencionado” -houve um calmo e agradável diálogo entre os membros da Mesa Diretora com o representante legal do SINTAB, Marcelo Vieira Costa, referente a tramitação regimental da propositura em questão. Por sua vez, interrompendo a harmonia entre os representantes, a cidadã supracitada em ato de total descontrole emocional passou atacar com palavras de baixo calão, os parlamentares autores, signatários e apoiadores da propositura ora em questão, especialmente o Presidente, onde taxou os mesmos de: “ignorantes e analfabetos”.

Diante do episódio e a repercussão em nosso portal de notícias o presidente Cássio também informou, através da mesma nota, que “não permitirá que novas condutas como estas vem a ocorrer sem a devida punição de seus realizadores”. Ele ainda ameaça punir com poder de polícia.

Será que a mesma regra serve para o presidente?

Redação.