Proposta de Chió, ONG Arribaçã vence Prêmio Nacional de Tecnologia Social e recebe homenagem na ALPB

O parlamentar justificou na tribuna, os méritos do trabalho desenvolvido no Assentamento Queimadas, município de Remígio.

22 de outubro de 2019   

O deputado estadual Chió (REDE) aprovou nesta terça-feira, 22 de Outubro, moção de aplausos à ONG Arribaçã e à Rede Borborema de Agroecologia – RBA, pelo primeiro lugar no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019, na categoria Gestão Comunitária e Algodão Agroecológico, premiação ocorrida em Brasília, na última semana.

Na presença dos agricultores Suzana Aguiar e Alexandre Almeida da Silva, o parlamentar justificou na tribuna, os méritos do trabalho desenvolvido no Assentamento Queimadas, município de Remígio, relembrando a trajetória da ONG e origem do projeto.

“Através do apoio técnico da Arribaçã, agricultores do assentamento Queimadas passaram a realizar o manejo do algodão agroecológico surgindo o Projeto Escola Participativa do Algodão. Posteriormente, com a criação da Rede Borborema de Agroecologia houve maior agilidade na certificação do algodão, garantindo mais espaço no mercado e melhores condições para o cultivo e para os agricultores. Foi todo esse processo de assessoramento, formação da rede, produção e comercialização de algodão agroecológico/orgânico, que concorreu e venceu experiências de todo Brasil na última semana. Uma conquista, acima de tudo, da Paraíba”, destacou Chió.

Segundo o parlamentar, não só a Europa, como diversos países do mundo já consomem produtos derivados do algodão agroecológico paraibano. “Com esse prêmio, a perspectiva agora é do aumento de novos grupos de produção nos municípios de Areia, Casserengue, Arara, Barra de Santa Rosa, Algodão de Jandaíra e Esperança”, antecipou Chió.

O projeto da ONG Arribaçã, campeão do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2019 fará parte da programação do Festival da Cultura Agroecológica e o Seminário Internacional de Algodão Agroecológico que ocorrerá em Remígio, nos dias 8, 9 e 10 de Novembro.

Na programação do festival estão previstas ainda, mostra de conhecimento agroecológico, desfile de moda com algodão colorido, música e atividades culturais, audiência pública, dia de campo, gastronomia, seminário e cinema.

Assessoria