Torcedor morre após invasão a estádio em jogo do Botafogo-PB

Eduardo Feliciano era da Torcida Organizada Fúria Independente do Botafogo-PB e teria sido agredido por policiais militares ao tentar invadir o Barretão

11 de agosto de 2019   

Torcedores de organizadas invadiram o estádio (Foto: imagem compartilhada pelo WhatsApp)

Um torcedor do Botafogo-PB morreu, na noite desse sábado (10), após uma confusão envolvendo torcedores do clube pessoense e policiais militares do Rio Grande do Norte que faziam o policiamento no estádio Barretão, no município de Ceará-Mirim, onde Globo-RN e Botafogo-PB se enfrentaram pela 16ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro.

Identificado como Eduardo Feliciano Justino da Silva, de 27 anos, a vítima era da Torcida Organizada Fúria Independente do Botafogo-PB. A confusão começou por volta das 18h20, 55 minutos antes do início da partida, quando alguns membros da Fúria e da Torcida Jovem, outra torcida organizada do Belo, que estavam do lado de fora do estádio, pularam o muro para invadir o local e não pagar ingresso.

Alertados da invasão, policiais militares reagiram com tiros de borracha e golpes de cassetete contra torcedores que ainda tentavam invadir o estádio. Foi durante essa reação que Eduardo Feliciano teria sido espancado pelos policiais e ficado desacordado.

Socorrido por uma ambulância do Samu, Eduardo chegou a dar entrada no Hospital Municipal Doutor Percílio Alves, em Ceará-Mirim, mas não resistiu e morreu horas após os ferimentos.

Em um documento de solicitação de exame cadavérico, a médica Osmani Yoandris relatou que no momento em que chegou ao hospital, por volta das 20h02, Eduardo apresentava rebaixamento do nível de consciência, além de sinais de consumo de bebidas alcoólicas e, conforme relato de acompanhante da vítima, uso de drogas ilícitas.

Porém, o documento também revela que Eduardo estava com contusões e hematomas no tórax e na região lateral do olho esquerdo, o que levanta a suspeita, atestada por torcedores que estavam no local, que ele foi espancado pela polícia.

Leia mais

Portal Correio