Vice-presidente do PSL rechaça polêmica da CMJP sobre título de cidadão: “Dão título a um corrupto e se negam a receber Bolsonaro”

Mesmo com a aprovação do solidariedade por causa do atentado sofrido na quinta-feira (6), os parlamentares se abstiveram de votar o título de cidadão pessoense a Bolsonaro na sessão dessa plenária desta quarta-feira (12).

12 de setembro de 2018   

Candidato a deputado federal e vice-presidente nacional do PSL, Julian Lemos, rechaçou a postura da Câmara Municipal de João Pessoa diante da polêmica de conceder ou não o título de cidadão pessoanese ao presidenciável Jair Messias Bolsonaro.

Mesmo com a aprovação do solidariedade por causa do atentado sofrido na quinta-feira (6), os parlamentares se abstiveram de votar o título de cidadão pessoense a Bolsonaro na sessão dessa plenária desta quarta-feira (12). A sessão foi tão tumultuada que chegou a gerar tumulto.

Indignado, Lemos lembrou que os parlamentares concederam título de cidadão a José Dirceu, condenado no mensalão e se ausentaram de votar o título a Jair Bolsonaro, marcado para hoje e adiado para a próxima sessão.

“Os representantes da esquerda se acovardaram e se retiraram. Eles cobram tanta coragem e democracia e porque não ficaram e votaram contra. A Câmara dá um título de cidadão a José Dirceu, um corrupto, ladrão, bandido e se nega a receber Jair Bolsonaro, como da primeira vez e agora, a prestar uma homenagem dessa. Me perguntaram qual o serviço revelante que ele prestou a JP? Eu pergunto: e Dirceu? O serviço relevante que Bolsonaro deixa para o país é a consciência política para o bem”, explicou.

A VOTAÇÃO

Os vereadores ligados à esquerda se ausentaram na hora de debater o assunto e esvariaram a sessão, ficando a votação do título de cidadão remarcada para amanhã quinta-feira (13).

PB Agora