Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Operação policial em Patos, na PB, descobre esquema que fraudava empréstimos consignados

Ex-funcionário de instituição financeira falsificava documentos para pegar para si empréstimos em nome de servidores públicos. Ele é suspeito de desviar R$ 415 mil.

Publicado: 05/09/2023

Foto: Divulgação/Ascom Polícia Civil da Paraíba

A Delegacia de Roubos e Furtos da Polícia Civil em Patos, no Sertão da Paraíba, realizou uma operação nesta terça-feira (5) contra um esquema criminoso de prática de estelionato, furto qualificado, falsificação de documento público e uso de documento falso que ocorreu no âmbito de uma instituição financeira. Os fatos envolveram um ex-funcionário da instituição bancária, que pediu demissão no final do ano passado após aplicar golpes contra alguns clientes e contra o próprio banco.

Foi apresentada representação com pedidos cautelares que foram deferidos pela 1ª Vara Mista de Patos. A operação aconteceu no bairro de Belo Honrizonte e vários objetos de interesse da investigação foram apreendidos. Todo esse material será periciado e anexado ao processo. O investigado, acompanhado de advogado, foi interrogado e responderá ao processo em liberdade. O caso obedece a sigilo judicial para não atrapalhar as investigações.

Segundo revelado na investigação, o representado fraudou empréstimos consignados e causou um desfalque de aproximadamente R$ 415 mil.

A atuação do investigado consistiu em falsificar documentos e realizar ativação de empréstimo consignado em folha do estado e desviar os valores, movimentando as contas das vítimas por cartões e aplicativos em celulares próprios com o objetivo de desviar o dinheiro.

A Polícia informou ainda que as vítimas, pessoas físicas, tiveram seus contra-cheques alterados para salários de alto valor pagos pelo estado, quando na verdade recebiam salário-mínimo ou valor um pouco acima, que eram incompatíveis para os empréstimos lançados em folha.

A instituição bancária só descobriu as fraudes após ocorrer a inadimplência dos contratos e imediatamente tomou as providências necessárias para cancelar os contratos fraudulentos nas remunerações das vítimas.

Por g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS