Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Parte da triplicação da BR-230 deve ser entregue em 2025, afirma superintendente do DNIT na Paraíba

A obra é aguardada para viabilizar maior aporte de escoamento de cargas e proporcionar mais mobilidade para o tráfego intenso de veículos de pequeno e grande porte, principalmente por ser rota portuária que liga ao Porto de Cabedelo.

Publicado: 22/04/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

Com mais de sete anos e ainda em andamento, a obra de triplicação da BR230 deverá ter parte concluída em 2025. A previsão é do superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), na Paraíba, Arnaldo Monteiro.

“A empresa responsável está em um ritmo dentro de nossa programação. Estamos fazendo obras remanescentes que já deveriam ter sido entregues há muito tempo. O exército entregou em maio, licitamos e pegamos ela em novembro. Essa obra tivemos que parar em função do grande fluxo de veículos durante o veraneio. Agora, nos últimos 15 dias deu um problema por conta das chuvas. Estamos fazendo mais 3,3 km novos e toda a área de drenagem será entregue em até 15 dias. Do 2 ao 13 km ainda está em andamento, perto do Café São Braz. A segunda etapa vai até o viaduto de Oitizeiro. Todas as marginais devem estar prontas tão logo termine o inverno. São seis passarelas que deverão ser colocadas também. Nossa previsão é entregar ainda em 2025”, disse Monteiro.

A obra é aguardada para viabilizar maior aporte de escoamento de cargas e proporcionar mais mobilidade para o tráfego intenso de veículos de pequeno e grande porte, principalmente por ser rota portuária que liga ao Porto de Cabedelo.

Ao todo, serão construídos dois viadutos, oito passarelas, 3,3 quilômetros de vias laterais e mais 3,3 quilômetros de triplicação. Tudo isso compreenderá do quilômetro 2 ao 13,8 dos 28 quilômetros previstos da obra total.

As obras de triplicação da BR-230 começaram em 2017 e estavam orçadas em R$ 255.499.965,86. Até a etapa atual do empreendimento, o DNIT informou que foram investidos R$ 51 milhões (valor considerado sem a atualização monetária e já somados valores gastos com o Exército e o Consórcio Construcap/Copasa, que abandonou a triplicação em 2019).

Em agosto do ano passado, o Governo Federal liberou novos valores para a obra. Além dos R$ 151 milhões liberados com nova ordem de serviço, a triplicação também vai contar com outros R$ 300 milhões, que serão investidos até 2026, prazo de término da obra.

Fonte: ClickPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS