Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Polícia Civil indicia mulher que matou filha de 1 ano por homicídio qualificado, em João Pessoa

Eliane Nunes da Silva, de 27 anos, afirmou em depoimento que cometeu o crime motivada pela raiva que sentiu pelo companheiro ter terminado o relacionamento do casal.

Publicado: 03/11/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

A Polícia Civil da Paraíba concluiu nesta sexta-feira (3) o inquérito contra Eliane Nunes da Silva, de 27 anos, suspeita de matar a filha de 1 ano a facadas dentro do berço. Segundo o delegado Bruno Germano, a mulher foi indiciada por homicídio qualificado. O crime aconteceu no dia 26 de outubro, no condomínio onde a suspeita mora, no Bairro do Geisel, em João Pessoa.

O delegado Bruno Germano também afirmou que o inquérito concluiu que a suspeita matou a criança porque o pai do bebê pediu a separação do casal. Em depoimento, Eliane disse que cometeu o crime motivada pela raiva que sentiu pelo companheiro ter terminado o relacionamento do casal horas antes do crime ter acontecido.

Eliane Silva se entregou à polícia no mesmo dia do crime e sua prisão foi mantida em audiência de custódia na sexta-feira (27). Após a manutenção da prisão, a mulher foi encaminhada para o Centro de Reeducação Feminina Maria Júlia Maranhão, em Mangabeira, na zona sul de João Pessoa.

Entenda o caso

A bebê Júlia, de 1 ano, foi assassinada a facadas pela mãe dentro do berço e teve ferimentos em várias regiões do corpo, entre elas o abdômen, as costas e o pescoço. A mãe, Eliane Nunes da Silva, se apresentou à polícia confessando o que tinha feito, logo após o crime.

De acordo com o delegado Bruno Germano, a mulher chegou na Central com as mãos ensanguentadas e contou que havia esfaqueado a própria filha, Julia.

“Isso causou surpresa a todos nós e logo determinei que detivessem a jovem e fossem até o local onde ela apontava que a bebê estava. Várias viaturas foram no local e confirmaram o crime, a criança de 1 ano estava dentro de um berço e golpeada por vários golpes de faca”, disse.

A criança foi encontrada morta no berço, ensanguentada, e ao lado do corpo estava a faca que teria sido usada para cometer o homicídio.

Término de relacionamento

Imagem: Reprodução

Em troca de mensagens entre o casal, o marido da mulher terminou o relacionamento que ambos tinham. Nas mensagens, o homem diz que “precisa de paz na vida” e que está “cansado de briga besta, do ciúme e de egoísmo”.

Em outro momento, ele diz que vai auxiliar financeiramente a mulher e a criança, enviando uma quantia em dinheiro todas as semanas. “Vou lhe mandar 200 [reais] por semana pra ajudar nas despesas. E pegar Julia [a filha do casal], de 2 em 2 semanas pra ficar comigo”, disse. O homem afirmou que iria entregar a chave do local onde moravam juntos para o pai da mulher na sexta-feira (27).

Além disso, o pai da criança diz que queria terminar o relacionamento. “Acabou o amor com suas atitudes, melhor cada um seguir seu caminho. E vamos ser amigos”.

Por fim, ele ainda reforça na troca de mensagens que vai trabalhar para ajudar nas despesas com a criança e que tinha a intenção de vê-la periodicamente. Essas mensagens enviadas por ele aconteceram entre 7h02 e 7h50.

Em outras mensagens, que mostram o horário das 7h56 às 8h06, a mulher respondeu a ele pedindo para ele voltar para casa e que o relacionamento continuasse.

“Desculpe, eu te amo, vou dividir tudo, vem aqui, lhe amo, não faça isso comigo, me perdoa”, diz a mulher nas mensagens.

Depois dessas mensagens, o homem bloqueou a mulher no aplicativo.

Com g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS