Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Policial militar do Ceará suspeito de matar estudante no Sertão da Paraíba é identificado, mas segue foragido

PMCE instaurou um procedimento administrativo para apurar o caso.

Publicado: 04/12/2023

Ramon foi morto a tiros por um PM após festa de emancipação política de Uiraúna, no Sertão da Paraíba. — Foto: Arquivo pessoal

O policial militar do Ceará suspeito de matar o estudante Ramon Pedro de Sousa, de 25 anos, na cidade Uiraúna, no Sertão da Paraíba, neste domingo (3), já foi identificado pela corporação cearense, mas segue foragido.

“A Polícia Militar confirma o envolvimento de um agente da Polícia Militar do Ceará (PMCE), que já foi identificado e que segue foragido, contra quem foi instaurado um procedimento administrativo a fim de apurar os fatos ocorridos neste domingo, no estado da Paraíba. Ademais, a Corporação ressalta que não compactua com desvios de conduta de quaisquer militares”, disse a PMCE.

O crime foi registrado por câmeras de segurança de uma rua do Bairro Nossa Senhora de Lourdes. As imagens mostram o estudante sendo empurrado duas vezes antes do agente atirar. Após matar o jovem, o suspeito guarda a arma. A ação foi vista por duas mulheres, que fugiram na companhia do policial. 

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) informou que determinou instauração de processo disciplinar em desfavor do policial e solicitou afastamento preventivo do agente.

“O inquérito policial está sob responsabilidade da Delegacia Regional da Paraíba”, informou a CGD.

Conforme a Polícia Militar de Cajazeiras, Ramon estava voltando da festa de emancipação da cidade de Uiraúna quando foi atingido pelo militar, que seria lotado na cidade de Orós, no interior do Ceará, mas estava na Paraíba participando do evento.

O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto de Polícia Científica de Cajazeiras para realização do exame cadavérico. A polícia segue investigando a motivação do crime.

Com g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS

Rolar para o topo