Família descobre que idosa estava viva após enterrar corpo trocado por hospital

Como a morte aconteceu por Covid-19, os familiares, que moram na cidade de Santa Cruz, na mesma região de Piancó, sepultaram o corpo rapidamente sem deslacrar o caixão

6 de janeiro de 2021   

 

Um erro inadmissível foi praticado pelo Hospital Regional de Piancó Wenceslau Lopes, que fica no município de Piancó, Sertão paraibano. A unidade informou a família de uma paciente que está viva que ela havia morrido. Como se não bastasse, o corpo de uma outra mulher foi entregue e sepultado pela família. Um dia depois, o hospital entrou em contato para reparar o erro e inclusive informar que a paciente continuava viva. O erro teria acontecido porque as duas mulheres teriam o mesmo nome.

Como a morte aconteceu por Covid-19, os familiares, que moram na cidade de Santa Cruz, na mesma região de Piancó, sepultaram o corpo rapidamente sem deslacrar o caixão, por conta do risco de contaminação. No dia seguinte a direção da unidade foi até a casa da família para se retratar pelo erro. O hospital também entrou em contato com a família da paciente que realmente morreu e auxiliou em todo o processo legal para a exumação do corpo e sepultamento correto, feito pela verdadeira família da paciente que morreu.

O fato aconteceu no final do ano passado e só ganhou repercussão na imprensa paraibana nesta quarta-feira (6). Segundo familiares da mulher que continua viva, o hospital tentou evitar o contato da família com a imprensa.

O hospital se manifestou através de nota e disse o seguinte:

Nota a imprensa.

Diante da notícia publicizada, a unidade hospitalar comunica que após verificado o equívoco, se dirigiu até a cidade de Santa Cruz-PB onde foi realizado a comunicação pessoalmente à família pela equipe técnica, e não por telefone. Antes mesmo de realizar qualquer julgamento de conduta profissional, o hospital se prontificou de maneira imediata a buscar o judiciário para reparação do fato, e em menos de 24 horas do ocorrido conseguiu um alvará judicial de autorização para exumação do corpo, devolvendo aos familiares, sendo observado os protocolos de segurança sanitaria em tempo de pandemia, e que restou assegurado os direitos de personalidade e sigilo do falecido. O hospital ainda afirma que novos protocolos serão adotados a fim de evitar que novos equívocos se repitam. Por fim, o hospital lamenta pelo ocorrido e se dispõe a auxiliar as famílias no que for necessário.

Assessoria Jurídica do Hospital Regional Wenceslau Lopes de Piancó-PB.

Fonte: Blog do PP

Leia mais: