Deputado rebate críticas de apoiadores e dispara: ‘Bolsonaro viajou o Brasil as minhas custas e paguei contas dele’

Ele pontuou ainda que, na campanha, chegou a pagar contas do então presidenciável que viajou pelo Brasil as suas custas

Publicado: 04/01/2022

O deputado federal Julian Lemos (PSL) não poupou críticas a Jair Bolsonaro (PL) ao rebater apoiadores que afirmam que ele ‘surfou na onda’ do presidente para ter um mandato. Durante entrevista ao programa 60 Minutos, nesta terça-feira (4), Lemos lembrou que, em 2018, o atual chefe do Executivo era um deputado do chamado ‘baixo clero’ na Câmara Federal e não tinha sequer expressão política. Ele pontuou ainda que, na campanha, chegou a pagar contas do então presidenciável que viajou pelo Brasil as suas custas.

“Tem gente que tenta alimentar história que eu surfo na onda de Bolsonaro. Eu não sei que surfe foi esse que eu conheci ele com 3% das pesquisas, viajou o Brasil as minhas custas e paguei conta dele. Então não surfei em anda, poderia ter dado certo, poderia não ter dado”, afirmou Julian Lemos.

Confira outros trechos da entrevista concedida ao Sistema Arapuan de Comunicação:

Sobrevivência sem Bolsonaro

“Eu sobrevivo na vida sem Bolsonaro, o meu mundo não gira em torno dele. Se eu fizesse isso, estaria diminuindo a importância da minha vida. E na minha opinião Bolsonaro é presidente de um mandato só, eu não tenho dúvidas disso hoje. Essa é a minha convicção”.

“Bolsonaro teve 57 milhões de votos, apenas 10 milhões à frente do Haddad que não era líder nenhum. Esses votos vieram após aquela facada, ponto. Naquela facada, pessoas que tinham dúvida decidiram que votariam nele e na realidade metade dos votos foram de vingança na classe política”.

Quem mudou, Julian ou Bolsonaro?

Eu continuo defendendo as medidas contra a corrupção, a segurança pública, eu voto 100% nas bandeiras que falei, eu não mudei. Quem mudou? Vou fazer uma pergunta; quem cantou na convenção ‘se gritar pega ladrão’ foi eu? Não, foi o general Heleno. E com quem ele anda agarrado? Eu não condeno o Centrão, ele está ali fazendo o papel dele que é de ajudar a governar. Bolsonaro negava relação com Waldemar da Costa Neto, hoje é o homem de confiança dele”.

Incompetente na Presidência

“Ele governa entregando banco e ministério. Eu sou congressista, tô lá vivenciando e feito profeta no meio do deserto; Bolsonaro é base do Congresso, não é o Congresso que é base dele. Bolsonaro está totalmente dominado. Ele não domina sequer o orçamento e agenda administrativa. Você pode até gostar do Bolsonaro, mas ele é um incompetente na presidência, ponto final”.  

  • Edney Oliveira/Redação Portal Paraíba.com.br

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS