FALTA DE RESPEITO: Paciente de diabetes, professora denuncia que está há quatro meses sem receber insulina no Cedmex de CG

A usuária diz que não está recebendo as âmpolas de insulina gratuitamente do serviço, e está desembolsando cerca de R$78 para adquirir o medicamento

10 de janeiro de 2019   

 

Cedmex Campina Grande, no bairro do Itararé

O Centro de Dispensação de Medicamentos(CedMex), em Campina Grande, vem prejudicando a vida de uma paciente de diabetes, tipo 1. Em contato com a equipe do portal Se Liga PB, a moradora de Campina Grande Beatriz Ricarte, 24 anos e professora, denuncia que está há cerca de quatro meses indo até o orgão para receber a insulina e os insumos utilizados para a sua aplicação, mas ao chegar a entrega é negada.

Mesmo com mandado judicial, obrigando que o estado forneça a ela o medicamento, mas entretanto isso não vem sendo cumprido.”Eu liguei mais de uma vez para o setor jurídico do CedMex, e eles mandaram que eu ligasse hoje(quarta), pois estava chegando e eles recebendo”, nos relata. Cansada com a situação de descaso, a pedagoga decidiu tornar público o fato, levando ao conhecimento da imprensa local.”Mais um mês, e as insulinas Humalog não vieram”, fala, dizendo o nome da marca da insulina.

De acordo com Beatriz, todos os demais medicamentos oferecidos pelo serviço estão sendo entregues regularmente, apenas a insulina não é distribuída. “Se tinha a verba para comprar outras medicações, como as que chegaram ontem(terça), porque não está vindo a insulina?”, indaga, completando que todas as medicações entregues vem de João Pessoa. “Eles apenas me dizem que não chegou, e que eu fique ligando, porque o problema não é com eles, mas sim em João Pessoa”, completa.

Foto enviada pela denunciante. Cada caneta de aplicação de insulina custa R$ 34

Sem receber as âmpolas de insulina e as “canetas” de aplicação, Beatriz precisa adquirir com recursos próprios um material que têm direito de receber gratuitamente. Cada âmpola custa R$ 78 e as canetas R$34, o que dá para no máximo dez dias. Pelo whatsapp, a usuária mostrou o cartão de controle do medicamento, com a data da última vez que recebeu.

A equipe do portal tentou entrar em contato com um dos responsáveis pelo CedMex, mas foi informado que ainda não foi nomeado o novo responsável pelo serviço, após a troca de governo. O nosso portal vai continuar entrando em contato, para trazer maiores esclarecimentos sobre a denúncia.

Redação