Família responsabiliza prefeitura de Pocinhos por morte de idoso

Os familiares do Senhor Claudenor Lourenço, que faleceu na semana passada, contam como foi negligente o serviço da saúde do município de Pocinhos

7 de outubro de 2017   

Em entrevista ao Programa Se Liga PB, que vai ao ar todo sábado, das 14 as 16hs, pela Rádio Cidade Esperança (AM1310), os familiares do Senhor Claudenor Lourenço, que faleceu na semana passada, contam como foi negligente o serviço da saúde do município de Pocinhos. E como se sentiram humilhados por pessoas que não compreendem e não respeitam a perda do patriarca da família.

Os filhos Claudemir Lourenço e Wellington Lourenço, juntamente com uma amiga da família, conhecida como Adriana “Murcega”, procuraram a produção do programa Se Liga PB para contar sua versão dos fatos.

 

Adriana contou que não é da família, mas considerava seu Claudenor como se fosse um pai, e ela disse que quando vê as coisas erradas, e não é da família, mesmo assim a gente “se doí”.  “Levamos ele duas vezes ao hospital de Pocinhos, não tinha médico no hospital de Pocinhos, nem no PSF, um senhor com 79 anos cansado e doente. Estou aqui revoltada por perder um amigo, por falta de atendimento, da saúde de Pocinhos. E que algumas pessoas postaram no facebook coisas que não condizem com a realidade dos fatos, dizendo que o Samu socorreu, mas não foi bem assim que aconteceu. Eu liguei para o samu, dei o nome do paciente e meu nome e mais de meia hora depois, me ligaram de volta dizendo que o Samu estava com problema e não iria me atender. Eu responsabilizo a saúde de Pocinhos e a Prefeitura do município, pela morte do paciente”, denunciou.

 

Claudemir Lourenço e Wellington Lourenço também conversaram com a gente sobre a falta de atendimento médico para seu pai.  Claudemir conta que ao levar seu pai ao hospital ao chegar na recepção, fizeram a ficha dele e a atendente disse que não tinha médico e que levassem ele a noite. “Foi um sofrimento, passamos no hospital, sem médico no posto sem médico, levamos ele de volta para casa muito cansado, meu irmão fazendo massagem nele e ele só piorando. Na segunda ligação que Adriana fez para o Samu, a ambulância veio e a moça viu que a situação era crítica, colocaram ele na ambulância e levaram, mas antes de levar passaram uns 40 minutos parados, sem saber para onde levar ele, pois estava sem encaminhamento médico, depois seguiram com ele para Campina e depois só tivemos a notícia de que estavam tentando reanima-lo, mas ele veio a falecer. Eu responsabilizo a atual gestão, o secretário de saúde do munícipio. Ele ainda fala que algumas pessoas nem se quer respeitaram a perda da família e ficaram com comentários no facebook denegrindo a imagem do nosso pai falecido”, disse revoltado.

O outro filho Wellington Lourenço, diz que um certo radialista postou no facebook que seu pai morreu porque era fumante. “Faz mais de 40 anos que meu pai parou de fumar, uma pessoa defendendo prefeito Claúdio Chaves, eu diria a esse cidadão que isso é uma falta de respeito com meu pai, que sempre foi um cidadão de bem, um trabalhador. Meu pai morreu por falta de assistência, se for colocar como tá a situação em Pocinhos, da saúde da educação, não tem nada, está tudo entregue as baratas. A nota da saúde é 0, a situação está preta, meu amigo.  É revoltante a situação, mas entregamos tudo nas mãos de Deus”, finalizou.

Ninguém da gestão do prefeito de Pocinhos se manifestou com nossa equipe de reportagem.

Da redação.