Promotorias de Soledade, Juazeirinho e Santa Luzia passam por correições da Corregedoria-Geral

O objetivo das reuniões foi fortalecer a parceria do serviço prestado pelo Ministério Público com os Entes Representativos dos Municípios, além de trazer para a discussão as questões que demandam maior atenção por parte da atuação do Órgão Ministerial.

10 de julho de 2019   

As promotorias de Justiça de Juazeirinho, Soledade e Santa Luzia passaram por um trabalho de correição ordinária, por parte da Corregedoria-Geral do Ministério Público da Paraíba(MPPB), entre os dias 1º a de Julho desse ano. Contando com a presença de representantes da rede de apoio social local, em cada promotoria.

Estiveram participando das correições ordinárias a corregedora-geral, Vasti Cléa Marinho da Costa Lopes; os promotores corregedores, Cristiana Ferreira Moreira Cabral de Vasconcellos e Francisco Lianza Neto; e os e os promotores de Justiça Dimitri Nóbrega Amorim (Juazeirinho), Edmilson de Campos Leite Filho (Soledade) e José Carlos Patrício (Santa Luzia).

O objetivo das reuniões foi fortalecer a parceria do serviço prestado pelo Ministério Público com os Entes Representativos dos Municípios, além de trazer para a discussão as questões que demandam maior atenção por parte da atuação do Órgão Ministerial. Além disso, os trabalhos de correição também incluíram análise de feitos judiciais e extrajudiciais e visitas a instituição de longa permanência para idosos.

Reuniões

Na reunião ocorrida em Juazeirinho, foi discutida a necessidade de um maior fortalecimento da rede, sobretudo na área da criança e do adolescente; problemas envolvendo o consumo de drogas; acidentes recorrentes envolvendo crianças pilotando motos.

Em Soledade, os principais assuntos discutidos na reunião foram as eleições para conselheiros tutelares; segurança pública; presença de drogas na região; demandas envolvendo a dispensação de medicamentos e a realização de exames e cirurgias.

Já em Santa Luzia, os assuntos abrangeram o transporte, evasão e merenda escolares; capacitação para conselheiros tutelares; desestruturação familiar em decorrência do envolvimento com drogas; e segurança pública.

Redação com MPPB