Remígio, a 140 km da Capital, adota políticas hídricas de efeitos para superar 10 anos de falta de água

O prefeito André Alves, do PDT, apostou duas fichas em políticas de recursos hídricos impactantes

22 de setembro de 2021    [post-views]

A cidade de Remígio, no Curimataú da Paraíba e a 140 km da Capital, convive há 10 anos com a falta de água constante onde as zonas urbana e rural precisam de 120 carros pipa por semana para sobreviver.

Só que acostumada com a estiagem prolongada a gestão do prefeito André Alves, do PDT, apostou duas fichas em políticas de recursos hídricos impactantes, através do Secretário de Agricultura, agrônomo doutorando Diego Almeida Medeiros, responsável por diversos projetos a interferir no presente e futuro do município.

PREPARANDO COM ESTRUTURA

Diego Almeida revela que em 10 anos de estiagem prolongada a ordem é preparar a estrutura para os novos instantes, a partir da construção com recursos próprios de 160 novos Barreiros no município visando conviver com as futuras chuvas.

A ordem é ofertar condições de acúmulo de água para todas as necessidades básicas, por isso ele anda seguro de que na próxima chuvarada a cidade estará em condições de acumular recursos hídricos capaz de segurar a onda futura.

Secretaria de Agricultura de Remígio construiu barreiros para abrigar águas de futuras chuvas (Foto: reprodução)
Secretaria de Agricultura de Remígio construiu barreiros para abrigar águas de futuras chuvas (Foto: reprodução)

Além disso, Remígio produz em.150 hectares produção de algodão agro ecológico com aquisição de empresa francesa.

Ultimamente, a cidade resolveu investir em projetos de Palmas forrajeiras em condições de nutrir os produtores locais, agora às vésperas de novo convênio com a Secretaria de Agricultura estadual, via secretário Efraim Morais, para ampliar a oferta de Palmas no município.

Remígio investe em projetos de Palmas forrajeiras (Foto: reprodução)
Remígio investe em projetos de Palmas forrajeiras (Foto: reprodução)
Remígio investe em projetos de Palmas forrajeiras (Foto: reprodução)

Do Wscom