Projeto de Lei que beneficia familiares de portadores do Alzheimer é aprovado pela câmara em Campina

A propositura é do Vereador Renan Maracajá (PSDC).

26 de setembro de 2017   

Vereador Renan Maracajá (PSDC).

 

O Vereador Renan Maracajá (PSDC), em seu primeiro mandato foi o mais votado em Campina Grande, durante os 09 meses de mandato, já enviou mais de 170 documentos para a câmara, entre requerimentos, projetos de lei e outras solicitações do legislativo. Recentemente apresentou o Projeto de Lei para criação de Programa de Orientação, Apoio e Atendimento aos Familiares dos Portadores da Doença de Alzheimer, com o objetivo de buscar  alternativas viáveis que facilitem a vida e amenizem as dificuldades de quem possui um ente querido na família acometido da doença, já que a dedicação passa a ser praticamente exclusiva e os cuidados extremos.

A proposta garantirá atendimento médico e clínico, acompanhamento geriátrico, psiquiátrico e neurológico especializado e periódico junto as Unidades Básicas de Saúde e na rede hospitalar que presta atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), aos portadores da doença e aos familiares e cuidadores dos mesmos; facilitará a obtenção de medicamentos considerados excepcionais e indispensáveis, gratuitamente, aos portadores, através da rede municipal de saúde, bem como o fornecimento de outros medicamentos receitados aos cuidadores dos mesmos; Promoverá programas de orientação, treinamento, apoio assistencial e de conscientização aos familiares e cuidadores referentes aos males causados pela doença, cuidados especiais no manuseio, capacidade de adaptação e segurança dos portadores.

Para os familiares e cuidadores dos portadores de Alzheimer, o programa irá implementar medidas e promover política de auxílio para identificar as necessidades individuais de cada portador e propor um processo assistencial na realização de exames médicos periódicos e específicos e tratamento fisioterápico, de terapia ocupacional, de fonoaudiologia, de terapia ocupacional, psicológico, de estimulação física e comportamental, nutricional, dietético e outros que venham beneficiar o paciente e principalmente aqueles que cuidam dos mesmos, para atenuar as dificuldades de ambos.

O vereador, autor da proposta, diz que “a doença de Alzheimer é uma enfermidade  incurável que se agrava ao longo do tempo, mas pode e deve ser tratada. E essa propositura vem justamente com objetivo de proporcionar orientação e cuidados especiais aos doentes na preservação da sua segurança e minimizar no que for possível os efeitos desta enfermidade”.