Saúde de Campina Grande adia aplicação da 2ª dose de vacina para pessoas de 70 a 79 anos

Pessoas com retorno marcado para os próximos dias devem aguardar uma nova convocação

19 de abril de 2021   

Vacina / Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Saúde de Campina Grande adiou a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19, para pessoas com idades de 70 a 79 anos, que estava prevista para o início desta semana. As pessoas com retorno marcado para os próximos dias, para receber a dose de reforço, devem aguardar uma nova convocação. Na semana passada, centenas de idosos, nessa faixa etária, já receberam a dose 2.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, não será possível realizar a vacinação por causa do baixo quantitativo de doses do imunizante Coronavac. No entanto, o ministro Marcelo Queiroga garantiu, em visita a Campina Grande, no último sábado (17), que o Ministério da Saúde deve enviar novas doses da vacina do Instituto Butantan, para o estado da Paraíba.

O município de Campina Grande enfrenta essa dificuldade para a aplicação da segunda dose neste público porque, seguindo uma orientação do próprio Ministério da Saúde, utilizou a remessa para antecipar a imunização do público de 60 a 64 anos de idade. Contudo, as doses da Coronavac para compensar a operação e realizar a aplicação do reforço não chegaram a tempo.

Ainda de acordo com a prefeitura, entre os fatores que também contribuíram para este atraso está a diferença entre o número de doses enviadas para a cidade e o número informado ao Ministério da Saúde.

“A Secretaria Estadual de Saúde enviou 4.709 doses a menos do que o anunciado. Além disso, houve também o episódio em que mais vacinas foram enviadas a João Pessoa do que o correto, doses que foram subtraídas de todos os outros 222 municípios paraibanos”, diz comunicado da prefeitura encaminhado à imprensa.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da assessoria de imprensa da pasta, questionou o atraso citado pela Prefeitura de Campina Grande e informou que as doses são encaminhadas para os municípios de acordo com a entrega do Ministério da Saúde, distribuídas seguindo a população em cada público-alvo. A SES disse ainda que o ministério também determina o percentual de população em cada envio.

Prazo vencido não compromete imunização

O secretário municipal de Saúde, Filipe Reul, garantiu a eficiência do processo de imunização, mesmo com um intervalo maior que 28 dias entre as duas doses. “O importante é completar o esquema vacinal. Já há indícios de que o intervalo é irrelevante para o processo de proteção e o que vale é fechar o ciclo de vacinação, com as duas doses. Mas todos devem ficar tranquilos, que serão imunizados”, disse Reul.

1ª dose de 60 anos

Independente da não aplicação das doses de reforço, o Município vai iniciar, nesta segunda-feira (19), a vacinação das pessoas com 60 anos de idade, uma vez que a vacina disponível para este público é a AstraZeneca/Oxford.

As ações vão ser realizadas em todas as Unidades Básicas de Saúde, nos Centros de Saúde, nas Policlínicas e na Pirâmide do Parque do Povo.

Vacinômetro

Campina Grande já aplicou 79% das 93.328 unidades recebidas, sendo 58.717 primeiras doses e 15.031 doses de reforço. Esses números são extraídos do sistema SI-PNI, do Ministério da Saúde. O quantitativo restante se refere aos dados que ainda não foram registrados na plataforma, às perdas técnicas e à reserva de imunizantes.

Portal Correio