Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Pré-candidato a prefeito pelo PT defende união do partido e não descarta aliança com o prefeito Nobinho Almeida em Esperança

De acordo com ele, seu nome vem para tentar unir os membros do partido que até então se encontra dividido na cidade, inclusive com grande apoio ao grupo de situação.

Publicado: 17/06/2024

FOTO: SE LIGA PB

O pré-candidato a prefeito de Esperança pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Dikel Emanuel, em entrevista ao Programa Se Liga PB, na manhã desta segunda-feira (17), defendeu a união do partido na cidade e não descartou a possibilidade de aliança com o prefeito Nobinho Almeida (PP).

De acordo com ele, apesar das divergências dentro da legenda, seu nome vem para tentar unir os membros de seu partido que até então se encontra dividido, inclusive com grande apoio ao grupo de situação liderado pelo gestor.

“Eu não escolho lado hoje, queremos apenas espaço”, afirmou.

Dikel revelou ainda que andou dialogando com outros representantes da oposição, a exemplo dos pré-candidatos Paizinho Bronzeado (Republicanos) e Arnaldo Monteiro (MDB), porém não conversou com o prefeito Nobinho.

“Sempre fui do Partido dos Trabalhadores e defendo a forma governamental que o PT tem. Estamos abertos a agir de forma democrática e a escutar todos os lados democraticamente”, frisou.

Apesar de afirmar que está aberto ao diálogo, o pré-candidato pontuou que Esperança precisa se libertar da polarização dos grupos que há anos se revezam no poder, e disse que, assim como o empresário Ônio Lira, acredita em um combinado entre o grupo do prefeito Nobinho e o grupo de Arnaldo Monteiro para se manterem no comando da cidade.

“Aqui em Esperança os grupos políticos sempre são os mesmos, eles sempre se revezam. Eu concordo que é combinado, sempre quando um é prefeito o outro é deputado, e inclusive nenhum nunca processou o outro”, disse.

Redação

 

 

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS

Rolar para o topo