Prefeito de Remígio diz que não tem motivos para votar em João Azevêdo e sinaliza aliança com Pedro Cunha Lima

“Tive uma rápida conversa com Pedro", disse André Alves.

Publicado: 14/05/2022

foto: se liga pb

O prefeito de Remígio, André Alves (PDT), em entrevista ao Programa Se Liga PB, na tarde deste sábado, 14, disse que não tem motivos para votar em João Azevêdo, e sinalizou aliança com Pedro Cunha Lima.

“Não vejo nenhum motivo para votar em João”, declarou.

André disse que a bancada do grupo já tem decidido que não vota em João, e ele também não ver sentido de votar no governador. Segundo ele, já votou, mas não teve muita oportunidade de conversar com ele.

“Como é em quatro anos de governo não ter a oportunidade de chegar na frente de um governador que eu votei? Não poder ficar cara a cara com ele, conversar e fazer minhas reivindicações? ”, questionou.

O prefeito contou que em uma das passagens do governador por Remígio para uma inauguração, teve apenas um pequeno contato com João, o que não foi o suficiente para fazer suas reivindicações, especialmente com relação a crise hídrica.

“Eu aproveitei os poucos minutos e disse: governador queremos água, traga água, estou há quatro anos abastecendo a cidade com carro pipa. Pedi também um recapeamento, e desde então não tive mais resposta, nem de água, nem de recapeamento asfáltico, então não vejo motivo para votar em João”, explicou.

André comentou que ainda não tem pré-candidato ao Governo do Estado, mas confidenciou que teve uma conversa com o pré-candidato a governador Pedro Cunha Lima por telefone.

“Tive uma rápida conversa com Pedro. Na oportunidade ele disse que vai mandar uma emenda de R$ 600 mil para pavimentação”, contou.

O chefe do executivo ressaltou que foi um bom começo, e que pretende ter uma conversa com Pedro pessoalmente, para após esta conversa decidir para onde ir seu apoio.

“Tive essa conversa preliminar com Pedro, mas vou me encontrar com ele pessoalmente e fazer minhas reivindicações. Eu preciso de um governador que ouça minhas reivindicações e traga coisas para o meu município a pedido meu”, finalizou. E acrescentou: “Eu quero um governador que eu tenha acesso a ele”.

Redação

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS