Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Professora é sequestrada na UFPB e forçada a fazer saques em dinheiro, em João Pessoa

Professora estava fora do carro quando o suspeito a abordou e obrigou ela a entrar no veículo. Em seguida, o suspeito mandou a professora ir até uma agência bancária e realizar saques.

Publicado: 09/08/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

Uma professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB,) foi vítima de sequestro na tarde dessa terça-feira (8) dentro da instituição, e forçada a fazer saques para dar o dinheiro ao suspeito. O caso foi confirmado pela própria UFPB. 

A professora estava fora do carro quando o suspeito a abordou e obrigou ela a entrar no veículo. Em seguida, o suspeito mandou a professora ir até uma agência bancária e realizar saques em dinheiro.

Após o saque, o suspeito mandou a professora dirigir e parar em uma localidade, onde ele desceu do carro e fugiu. Em nota, a UFPB lamentou o caso, prestou solidariedade à professora e afirmou que tomou medidas sobre o caso.

“Infelizmente, esta não foi a primeira vez que evento desse tipo aconteceu na instituição. Neste sentido, quando a presente gestão assumiu (novembro de 2020) procurou o então Comandante (Cel. Euler Chaves) da Polícia Militar da Paraíba, solicitando a reativação do Posto Policial localizado entre o CCTA e o CCHLA. Naquele instante obteve como resposta uma negativa. Porém, este é mais um caso que reforça a necessidade daquele posto e, de fato, a UFPB reiterará o pedido, mostrando os riscos potenciais que a comunidade universitária pode enfrentar”, diz parte da nota da UFPB.

Confira a nota na íntegra abaixo.

Em razão de especulações que pessoas estão fazendo sobre evento ocorrido na Universidade Federal da Paraíba, gostaria de apresentar alguns esclarecimentos à comunidade universitária.

Primeiramente, esclareço que recebi telefonema do Diretor do Centro de Tecnologia (CT) na tarde deste dia 8 de agosto, informando que uma de suas professoras tinha sido abordada por desconhecido na Universidade. Este a obrigou a entrar em seu próprio veículo, seguindo para uma agência bancária da capital a fim de sacar dinheiro. Naquele mesmo instante, manifestei ao diretor nossa solidariedade à professora, colocando-nos à disposição dela para o que estivesse ao alcance da Reitoria. Além disso, manifestei nosso empenho de seguir trabalhando em parceria com o Centro na busca de melhores condições de estudo e trabalho para todos.

Infelizmente, esta não foi a primeira vez que evento desse tipo aconteceu na instituição. Neste sentido, quando a presente gestão assumiu (novembro de 2020) procurou o então comandante (Cel. Euler Chaves) da Polícia Militar da Paraíba, solicitando a reativação do Posto Policial localizado entre o CCTA e o CCHLA. Naquele instante obteve como resposta uma negativa. Porém, este é mais um caso que reforça a necessidade daquele posto e, de fato, a UFPB reiterará o pedido, mostrando os riscos potenciais que a comunidade universitária pode enfrentar.

Ressalto que estamos trabalhando em um termo de referência para licitar serviços de videomonitoramento, procurando dar mais segurança a membros da comunidade e visitantes da instituição. Recente foram adquiridos drones, que são uma ferramenta complementar para promover a segurança. Destaco, ainda, que a Superintendência de Tecnologia da Informação está trabalhando em aplicativo para celular que configurará mais uma ferramenta de proteção da comunidade. Estamos empenhados em uma licitação para um novo contrato de vigilância, incorporando maior efetivo, tomando em conta a previsão orçamentária.

Por fim, rogamos a cada membro da comunidade universitária que, percebendo eventos suspeitos, por favor, não hesite em contatar a segurança institucional no telefone/WhatsApp: 3216 7120 ou comunicando aos nossos seguranças terceirizados.

Com Halan Azevedo

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS