Protetora de animais de Esperança explica como funciona o Projeto Patas de Rua, e destaca importância dos cuidados com os animais abandonados

Ela destacou que houve um aumento significativo de maus-tratos a animais na cidade

Publicado: 16/06/2022

FOTO: SE LIGA PB

A coordenadora da Associação Patas de Rua, Maria das Graças, foi a entrevistada do Programa Se Liga PB, na manhã desta quinta-feira (16). Maria das Graças, mais conhecida como Gracinha, é protetora dos animais na cidade de Esperança, e desenvolve um trabalho totalmente voluntário, praticamente sem apoios, em prol dos animais de rua. Ela destacou a importância dos cuidados com os animais abandonados, e explicou como funciona o Projeto.

Associação Patas de Rua é um projeto em defesa dos animais criado pela esperancense há mais de um ano, tendo como objetivo a luta pela castração de animais de rua, colaborando para a diminuição na reprodução desenfreada das fêmeas. Vale ressaltar que o controle da reprodução de animais de rua também é uma questão de Saúde Pública.

“O Patas de Rua é a gente trabalhar sobre a castração que vai diminuir a reprodução de animais”, frisou.

Na ocasião a protetora explicou como funciona seu trabalho em prol dos animais abandonados e que sofrem maus-tratos. Ela destacou que houve um aumento significativo de maus-tratos a animais na cidade, e que as leis existem, mas dependem de denúncias formais e de todo um processo de conscientização que envolve a causa.

“A lei funciona falta apenas fazer as denúncias. Liga no 190, faz sua denúncia e não precisa se identificar”, disse.

Maria das Graças contou que são muitas as situações de crueldade, e citou casos de atropelamento proposital de animais; zoofilia, que é o estupro de animais; queimaduras por água quente, dentre outros crimes.

A defensora reivindicou apoio para esse trabalho de castração e de cuidado aos animais, uma vez que muitos precisam de tratamentos, medicamentos, cirurgias, dentre outras necessidades. Ela ainda fez um apelo aos ouvintes, empresários, comerciantes e o poder público, que quem puder ajudar, tudo será bem-vindo, sendo necessário que todos se sensibilizem com a causa que é muito justa.

 Maria das Graças que é autônoma e trabalha como vendedora ambulante, faz o que pode, tirando do seu próprio bolso para fazer algo e amenizar o sofrimento dos animais, que só dependem da boa vontade das pessoas.

“Estou nessa luta, e muitas vezes deixo de comprar algo pra mim pra comprar um medicamento ou outra coisa para os animais que estão em tratamento. Faço isso com muita alegria e muito amor”, pontuou.

Quem puder ajudar Maria das Graças nesse trabalho de defesa dos animais de rua, é só entrar em contato pelo telefone (83) 988050153, o número também é chave Pix.

A autônoma também reforçou a importância da adoção, e disse que em breve pretende fazer visitas as escolas da cidade incentivando as pessoas a adoção dos animais.

Vale lembrar que maltratar animais é crime previsto na Lei 14.064/20, com pena de reclusão, de 2 a 5 anos, multa e proibição da guarda de animais. Em caso de maus tratos pode-se acionar a Polícia Militar pelo número 190 e solicitar uma viatura no local, ligar no Disque-Denúncia 181, ou em caso de animais silvestres, entrar em contato com o IBAMA no 0800 61 8080.

Redação

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS