Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Vídeo: polícia prende mentor da “Barbárie de Queimadas” no Rio de Janeiro

A Polícia Civil da Paraíba, através da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), com apoio da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, acaba de prender o mentor da “barbárie de Queimadas”.

Publicado: 19/03/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

A Polícia Civil da Paraíba, através da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), com apoio da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, acaba de prender o mentor da “barbárie de Queimadas”.

Quase 12 anos depois do crime que causou indignação nacional e ficou conhecido como ‘Barbárie de Queimadas’, o mentor da ação, Eduardo dos Santos Pereira, condenado a 108 anos de prisão, que estava foragido desde 2020, após fugir do presídio pela porta lateral acabou sendo capturado.

Entenda o caso

Tudo começou quando os irmãos Luciano e Eduardo dos Santos Pereira organizaram o aniversário com a festa marcada para o dia 11 de fevereiro, um sábado, de 2012. Participaram sete mulheres, nove homens e três adolescentes para a festa que aconteceu em uma casa no Centro de Queimadas. Os homens presentes planejaram realizar um estupro coletivo durante a festa.

Eduardo e Luciano forjaram um assalto e entraram encapuzados na residência. Os criminosos combinaram que apagariam o sistema de energia e invadiriam a casa com máscaras de carnaval se passando por assaltantes. As vítimas então seriam amarradas, vendadas e estupradas.

Duas mulheres que estavam na residência e não foram alvo do estupro coletivo são justamente as esposas de Eduardo e Luciano.

Enquanto era estuprada, a professora Izabella Pajuçara, de 27 anos, se debateu e conseguiu identificar Eduardo. A partir daí, os abusos foram interrompidos e os homens fugiram de carro levando Izabella Pajuçara e a recepcionista Michele Domingos, de 29 anos, que teria ouvido a fala da amiga reconhecendo o estuprador.

Michele chegou a pular do carro em movimento, mas recebeu quatro tiros e morreu. Já Izabella foi encontrada morta na estrada que liga Queimadas a Fagundes.

Em 2014, Eduardo dos Santos Pereira foi condenado a 108 anos de prisão, já Luciano dos Santos Pereira, irmão de Eduardo, foi condenado a 44 anos de prisão.

Um outros envolvidos, Jacó Sousa, foi sentenciado a 30 anos de reclusão e foi assassinado ao sair no regime semi-aberto.

Já Diego Rego Domingues foi liberado para cumprir a pena de 26 anos e seis meses no regime semiaberto. Fernando de França Silva Júnior, foi condenado a 30 anos de prisão. Luan Barbosa Cassimiro deve cumprir 27 anos de reclusão e José Jardel Sousa Araújo foi condenado a 27 anos.

Os adolescentes já cumpriram medida socioeducativa no Lar do Garoto, no município de Lagoa Seca, Agreste do estado.

Com ClickPB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS