Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Cerca de 60 estudantes vão para hospital após suspeita de contaminação de água usada na UFPB

Análises feitas por professora de universidade e pela Secretaria de Saúde apontaram presença de coliformes totais na água. Cagepa nega contaminação.

Publicado: 19/10/2022

Centro de Ciências Agrárias da UFPB, em Areia — Foto: Divulgação/UFPB

Cerca de 60 estudantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em Areia, no Brejo paraibano, precisaram receber atendimento médico no hospital da cidade por infecção gastrointestinal. Análises laboratoriais apontaram a presença de coliformes totais na água, alimentos e no suco servido no Restaurante Universitário (RU) do campus.

Os alunos tiveram sintomas entre os dias 10 e 17 de outubro e deram entrada no Hospital Municipal de Areia, onde foram diagnosticados com infecção gastrointestinal. Nenhum deles precisou ser internado.

Os estudantes ouvidos pelo g1 disseram que inicialmente suspeitavam de intoxicação alimentar a partir da comida servida no RU, mas, após uma série de testes, agora a suspeita é que a infecção seja decorrente de uma possível contaminação da água que chega até o Restaurante Universitário.

Uma professora de química lotada no Departamento de Química e Física da universidade fez testes e constatou a contaminação da água por coliformes totais.

“Realizei análises de águas coletadas em três pontos no Restaurante Universitário/CCA/UFPB em 11 de outubro de 2022, a saber: torneira (preparo do suco), bebedouro e cisterna. Os resultados das análises de todas as amostras indicaram a presença de coliformes totais”, disse a professora Maria Betânia Hermenegildo.

A Secretaria de Saúde de Areia também informou que, na análise da água, foi constatada a presença de coliformes totais. O mesmo foi encontrado na análise dos alimentos, no suco, nas folhosas e nos vegetais crus.

“Notificamos a Cagepa, bem como entramos em contato com a Vigilância Ambiental Estadual. Enquanto aguardamos os resultados, estaremos dando assistência in loco, enviando médico para consultas e dispensando a medicação devida. Para prevenir novos problemas de saúde, o RU suspendeu o uso de água nas saladas e sucos serviços no campus, e os bebedouros do campus foram interditados. Alguns estudantes seguem apresentando sintomas de infecção gastrointestinal”, afirmou a nota da Secretaria.

Em nota, o Centro de Ciência Agrárias (CCA) da UFPB informou que deve enviar um ofício para o Ministério Público solicitando providências da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) para regularizar a situação da água, e à Secretaria Municipal de Areia, informando sobre os resultados da análise e sobre os atendimentos dos estudantes.

“Seguimos prejudicados. Eu por exemplo desde a última quarta-feira dou entrada em hospitais, tomo vários medicamentos e não obtenho melhora no quadro”, disse a estudante presidente do CA de Zootecnia, Cleice Santos.

O CCA também afirmou que uma equipe médica está atendendo os estudantes que seguem apresentando sintomas de problemas gastrointestinais nesta terça (18) e quarta-feira (19). A Secretaria de Saúde do município informou também que um médico da atenção básica realiza os atendimentos no consultório do campus para evitar o deslocamento dos estudantes até o Centro da cidade.

A assessoria de imprensa da Cagepa informou ao g1 que a companhia realizou uma análise da água em circulação em Areia, e que o resultado não apontou presença de coliformes fecais. Segundo a companhia, portanto, a água está própria para o consumo.

Além disso, a Cagepa afirmou que não foi convidada pelo CCA para reunião em que foram apresentadas análises sobre a água. A empresa também afirmou que é responsável pelo abastecimento e qualidade da água até o ponto de entrega ao usuário, e que é de responsabilidade do mesmo a adequação técnica e a segurança das instalações internas da unidade usuária, situadas além do ponto de entrega e/ou coleta.

Confira abaixo a nota da Cagepa na íntegra:

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vem a público esclarecer a nota divulgada na última sexta-feira, dia 14 de outubro, pelo CCA-UFPB Campus II, que questiona a qualidade da água distribuída pela Companhia à população da cidade de Areia:

1 – A Cagepa informa que, em nenhum momento, foi convidada ou acionada pelo CCA-UFPB sobre a reunião ocorrida em que se apresentou análises físico/químicas e microbiológicas da água fora dos padrões, distribuída dentro do Campus II, na cidade de Areia;

2 – Assim que tomou conhecimento dessa nota, a Companhia enviou uma equipe técnica para coletar e analisar, em diversos pontos da cidade, a água distribuída na cidade de Areia. Inclusive, foram coletadas amostras no ponto de entrada da ligação e na cisterna interna do Campus II;

3- Após a realização das análises, ficou constatado que a água distribuída está dentro dos padrões exigidos pela Portaria de Consolidação nº 5/17, anexo XX, alterado pela portaria 888/21 do Ministério da Saúde, que assegura a qualidade biológica da água para os usuários, comprovando a inexistência da presença de coliformes fecais nas amostras coletadas;

4- A Cagepa informa que monitora a qualidade da água na cidade de Areia, bem como realiza análises diárias da água distribuída e desinfecção dos reservatórios responsáveis pelo abastecimento, atendendo assim todas as Normas Técnicas vigentes, comprovadas em documentos anexos;

5 – A nota divulgada pela CCA-UFPB Campus II não informa quais foram os pontos de coleta das amostras de água para a realização das análises. Vale salientar que a CAGEPA é responsável pela qualidade da água distribuída, dentro dos padrões preconizados pelas normas vigentes do Ministério da Saúde-MS, até o ponto de entrega da água aos usuários, em conformidade com o Artigo 212 da Resolução de Diretoria da Agência de Regulação do Estado da Paraíba-ARPB, Nº 002/2010, a seguir descrito:

“ Art. 212. A preservação e a manutenção da qualidade da água após o hidrômetro ou do local previsto para o mesmo, são de responsabilidade do usuário”.

6 – Complementando o item anterior, abaixo transcrevemos o disposto no Artigo 189 e seu parágrafo primeiro da referida Resolução da ARPB:

“Art.189. É de responsabilidade do usuário a adequação técnica e a segurança das instalações internas da unidade usuária, situadas além do ponto de entrega e/ou coleta”.

“§ 1º Os concessionários ou os serviços autônomos de água e esgoto municipais não serão responsáveis, ainda que tenham precedido vistoria, por danos causados a pessoas ou bens decorrentes de defeitos nas instalações internas do usuário, ou de sua má utilização”.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba fica à disposição para maiores esclarecimentos e reafirma a missão de atender as necessidades de Saneamento Ambiental da população, contribuindo para a melhoria de vida e da saúde pública dos paraibanos.

Redação com g1 PB

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS