Comissão eleitoral publica novo edital com eleição da FPF remarcada para 6 de junho, após decisão da Justiça que julgou documento irregular

Eleição foi marcada para 6 de junho, de acordo com o edital publicado na edição dessa quinta (5) do jornal A União, assinado pelo presidente da comissão eleitoral, Vantuil Gonçalves Júnior.

Publicado: 06/05/2022

Foto: Wellington Faustino

Após decisão da Justiça que determinou a publicação de um novo edital para a eleição da Federação Paraibana de Futebol, mediante denúncias de fraudes no pleito, a FPF cumpriu a decisão e publicou o novo documento. A eleição foi marcada para o próximo dia 6 de junho, de acordo com o edital publicado na edição dessa quinta-feira (5) do jornal A União, assinado pelo presidente da comissão eleitoral, Vantuil Gonçalves Júnior.

Conforme já havia noticiado o ClickPB, o ex-presidente do Atlético de Cajazeiras e candidato a presidente da FPF, Arlan Rodrigues, além de um clube profissional e outro amador entraram com ação na Justiça apontando irregularidades, como ‘assinaturas fantasmas’ e erros no edital anterior para a eleição. O juiz Onaldo Rocha de Queiroga, da 5ª Vara Cível de João Pessoa, acatou o pedido e determinou a publicação de um novo edital, considerando irregular o primeiro edital.

Antes prevista para setembro e antecipada para 23 de maio em decisão de Michelle Ramalho com apoiadores, a eleição acontecerá no dia 6 de junho, na sede da FPF, na Avenida Odon Bezerra, no bairro de Tambiá, em João Pessoa. Haverá eleição para presidente, vice-presidente, três membros titulares e três suplentes do Conselho Fiscal para o quadriênio de 2022 a 2026.

O regulamento eleitoral foi publicado nesta sexta-feira (6) contendo as regras, modelos de formulários e prazos a serem cumpridos para quem quiser se inscrever para participar do pleito.

Arlan Rodrigues havia pedido que a eleição ocorra com igualdade de condições. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, na quarta-feira (4), ele disse que a decisão da Justiça de suspender o pleito veio “no sentido de reparar a irregularidade cometida pela FPF”.

A eleição na FPF está cercada pela acusação de fraude no edital de antecipação do pleito, com supostas ‘assinaturas fantasmas’ e o candidato da oposição havia acionado a Justiça contra Michelle Ramalho e a FPF pelas condições atuais da eleição. Segundo Arlan Rodrigues, a ação também foi ajuizada por uma equipe amadora e uma equipe profissional de futebol que questionam, junto com ele, os rumos do pleito na Federação.

O pedido na Justiça foi para “anular o edital publicado pela FPF na calada da noite com o intuito de antecipar uma eleição que, a rigor, deve ocorrer somente em setembro deste ano. A liminar vem no sentido de reparar a irregularidade cometida pela FPF para que haja igualdade de condições no pleito, que haja afastamento da presidente e da comissão eleitoral” para evitar interferências na eleição, segundo aponta Arlan Rodrigues.

Ainda segundo o candidato, “iremos contatar cada um dos clubes e mostrar que, efetivamente, temos um projeto para o futebol da Paraíba e não um projeto pessoal”.

Em nota enviada ao ClickPB, a FPF manifestou-se dizendo que “o advogado da FPF-PB, George Ramalho Júnior, viu com tranquilidade a decisão do juiz e disse que não há problema em iniciar um novo edital, conduzido pela comissão eleitoral. Sobre uma possível irregularidade no pedido de antecipação da eleição, ele lembra que há essa previsão no estatuto, e que foi um pedido feito por três quartos dos filiados.”

Ao Arapuan Verdade, ontem (5), a atual presidente Michelle Ramalho também se manifestou dizendo ser normal essa decisão da Justiça e que ela vem apenas como forma de correção do edital.

Por Lucas Isídio

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS