Deputada Camila Toscano fala sobre sua representatividade na ALPB, e destaca a importância do voto consciente

Na ocasião a deputada ainda fez uma leitura da política paraibana

Publicado: 26/03/2022

Deputada Estadual, Camila Toscano. (Foto: Se Liga PB)

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB), em entrevista ao Programa Se Liga PB, na tarde deste sábado (26), disse que na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), as mulheres são minoria, e na política existe ainda um grande ´preconceito. Para ela, isso lhe dar uma responsabilidade ainda maior na vaga que ocupa.

“Eu sei que eu represento ali as mulheres paraibanas, então eu não posso chegar na Assembleia e ser uma mulher que não tenha uma representatividade. Eu quero que as mulheres paraibanas olhem para mim e tenham orgulho do que eu estou fazendo, e se animem de querer também entrar na política”, disse.

A deputada falou sobre a importância do voto consciente e responsável. Segundo ela, as pessoas precisam entender que não adianta reclamar e não exercer a cidadania do voto consciente, de saber em quem está votando, porque está votando, e disse que a juventude pode mudar a realidade do Estado.

“A juventude tem o dom de mudança e de pensar a Paraíba para a frente, para o futuro. Eu acredito muito na nossa juventude”, destacou.

Camila ainda contou que o PSDB firmou para deputado estadual, e na chapa formada tem o seu nome e o nome do deputado Tovar. Segundo ela, o partido sai com bons nomes para estadual, mas não irá sair com deputado federal, e citou o exemplo do deputado Ruy Carneiro, que saíra por questões de legenda.

A parlamentar também comentou sobre a pré-candidatura de Pedro Cunha Lima ao Governo do Estado, e disse que Pedro surge para promover mudanças na política paraibana.

“Nós temos a maior esperança da Paraíba que é Pedro Cunha Lima. Ele está fazendo uma campanha que cresce e que pode levar o Estado para frente”, frisou.

Quanto a Efraim Filho, a deputada frisou que existe uma real possibilidade do pré-candidato ser o senador da chapa de Pedro.

“Ele mesmo falou sobre essa questão de vir a ser o senador de Pedro”, ressaltou.

Sobre os últimos acontecimentos envolvendo o temperamento forte do Presidente da ALPB, Adriano Galdino, Camila disse que por muitas vezes exigiu respeito no parlamento, e por muitas vezes teve falas cortadas.

“Comigo por diversas vezes eu exigi o respeito do presidente, e ele foi censurado diversas vezes pela própria sociedade. O poder de ligar e desligar o microfone fica a cargo do presidente, por mais que certas vezes eu queira me defender e exigir respeito, a fala é cortada”, contou. E acrescentou: “Para mim a forma rude como ele realmente tem se comportado, não acrescenta em nada na nossa Assembleia Legislativa”.

A representante do legislativo estadual, na ocasião fez uma leitura do Governo da Paraíba, e contou que ver o Estado sem um comando que surta efeitos positivos diante das dificuldades enfrentadas pela população, e citou os exemplos da segurança pública, da crise hídrica enfrentada por vários municípios, Educação e Saúde.

 “Você nunca ver o governador dando uma resposta a sociedade, resposta enquanto líder maior do Estado. Nós não temos Segurança de qualidade, não temos Educação de qualidade, não temos água nas torneiras para as pessoas, segurança hídrica não existe, a Saúde está um caos na região. O governo que era para fazer, está deixando a Paraíba à mingua”, pontuou.

Redação

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS