Eleita primeira vereadora negra em Campina Grande, Jô Oliveira aponta lutas e perspectivas para o futuro: “um dos desafios é se fazer ouvir”

A vereadora foi eleita com 3.055 votos e tem uma trajetória de luta de combate ao racismo.

Publicado: 08/03/2022

Foto: Clilson Jr

Eleita com 3.055 votos em 2020, tornando-se a primeira mulher negra eleita, a vereadora de Campina Grande, Jô Oliveira, do PCdoB, que integra o conjunto de sete mulheres eleitas na Câmara de Campina Grande, enfrenta desafios diários e um deles é o de se fazer ouvir quando assume o espaço de fala e o outro de colocar em pauta as discussões de assuntos que tratem de mulheres.

“Um dos desafios é se fazer ouvir num espaço necessariamente o domínio de voz é do sexo masculino. Muitas vezes ignorada quando você está falando e tem outras pessoas falando também “, frisou em conversa com o ClickPB, destacando também que outro grande desafio é a discussão sobre a pauta da mulher, que por vezes, o assunto o qual se refere à mulher, acaba sendo minimizado por algumas pessoas, no caso, pelos próprios parlamentares. 

Como também mulher negra, a vereadora Jô Oliveira frisou ainda sobre a diversidade das mulheres, que são plurais e diversas. Portanto, destacou a importância de se fazer a marcação de raça e de outras questões importantes para entendermos que, quando se fala de mulher, é importante que não se trata de uma única mulher, mas de diversas mulheres.

Jô Oliveira ainda pontuou que é importante celebrar as conquistas, nesse Dia Internacional da Mulher, mais lembra que é a luta continua em busca de uma construção de uma sociedade igual e pontuou que é importante que as mulheres conquistem cada vez mais espaços. 

No caso em questão, não apenas no campo do Legislativo e Executivo, político, mas em diversos campos de poder. Citou ainda que ainda há muitas mulheres vítimas da violência doméstica e familiar sofridas pelas mulheres. “Mesmo com avanço, a gente não está na sociedade que a gente espera”, frisou. A vereadora comentou ainda que as mulheres estão cada vez mais presentes na política. Em 2014 eram 12% de mulheres ocupando a Câmara Federal. Em 2018, pulou para 16% e a expectativa que cresça nas eleições deste ano.

Por Aline Martins

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS