Fundador da Ong Anjos Protetores de Montadas fala como funciona o projeto e destaca importância da luta em prol da causa animal

Pablo Correia é protetor dos animais na cidade de Montadas, e desenvolve um trabalho totalmente voluntário

Publicado: 02/07/2022

FOTO: SE LIGA PB

O fundador da Ong Anjos Protetores do município de Montadas, Pablo Correia, foi o entrevistado do Programa Se Liga PB, na tarde deste sábado (02). Pablo Correia é protetor dos animais na cidade de Montadas, e desenvolve um trabalho totalmente voluntário em prol dos animais de rua. Ele destacou a importância dos cuidados com os animais abandonados, e explicou como funciona o Projeto Anjos Protetores, onde a Ong está localizada em Montadas, mas socorre também animais de outras localidades que necessitam de assistência.

Segundo Pablo, falar da causa animal é falar de Saúde Pública, e dessa forma precisa-se da atenção dos poderes públicos, o que geralmente não acontece. Os Anjos Protetores é um projeto em defesa dos animais criado por Pablo há cerca de 3 anos, tendo como objetivo a luta em defesa dos animais de rua e que sofrem maus-tratos, além de colaborar para o controle populacional dos animais de rua.

“Nós do abrigo somos a única voz daquela região que defende a causa. Meu trabalho social é todos os dias”, pontuou.

O protetor contou que a ideia surgiu da necessidade diante dos muitos eventos de maus-tratos a animais no município. O projeto funciona no espaço de uma escola desativada, onde os animais recolhidos são abrigados com toda assistência necessária, por meio de ações voluntárias, não só de Pablo, mas também de parceiros que se sensibilizam com a causa.

“Houve a necessidade de criar um projeto e assim eu fiz”, destacou.

Pablo contou que são muitas as dificuldades em manter o projeto por falta de apoio político, e disse que no local hoje se encontram mais de 300 animais, uma vez que são recolhidos, tratados e permanecem no abrigo, e chamou a atenção para o abandono de animais.

“Quando você abandona um animal na rua você está fazendo ele morrer aos poucos, eles ficam vulneráveis a fome, ao frio e a sofrer maus-tratos, e hoje é crime você abandonar um animal”, explicou.

Ele destacou que houve um aumento significativo de maus-tratos e abandono a animais, e que as leis existem, mas não funcionam, e citou a Lei de Proteção Animal existente em Montadas deste o ano de 2017, mas que não é colocada em prática pelos poderes públicos.

“Não existem hoje políticas públicas envolvendo a causa animal, vemos muitas pessoas montando palanque em cima da causa animal, e o que realmente acontece é o esquecimento dos animais, ficam esquecidos e toda vez de época de campanha querem fazer algo mas fica apenas no papel”, disse.

O fundador dos Anjos Protetores disse que é necessária mobilização para que a lei funcione, e que está mobilizando pessoas que possa ajudar a fazer com que ela seja executada no município.

“Graças a Deus temos um exército de pessoas que se sensibilizam com a causa e muita gente que admiram nosso trabalho, pelo cuidado que temos com nossos animais”, frisou.

O protetor reforçou a importância dos cuidados e da responsabilidade dos tutores em cuidar, não maltratar ou abandonar seus animais, assim como também o cuidado com animais de rua.

Vale lembrar que maltratar animais é crime previsto na Lei 14.064/20, com pena de reclusão, de 2 a 5 anos, multa e proibição da guarda de animais. Em caso de maus tratos pode-se acionar a Polícia Militar pelo número 190 e solicitar uma viatura no local, ligar no Disque-Denúncia 181, ou em caso de animais silvestres, entrar em contato com o IBAMA no 0800 61 8080.

Redação

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS