Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Governo Federal vai antecipar R$ 10 bilhões para compensar estados por perda de ICMS

Uma segunda medida decidida com Lula, segundo Padilha, foi aumentar os repasses do Fundo de Participação dos Municípios — verba paga pelo governo federal às prefeituras.

Publicado: 12/09/2023

Foto: Assessoria Especial da Presidência

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, confirmou que o governo federal quer antecipar R$ 10 bilhões para compensar estados e municípios com perdas no ICMS. A informação já havia sido antecipada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa, durante solenidade em João Pessoa nesta terça-feira (12).

A antecipação ainda precisa ser aprovada em um projeto de lei no Congresso. Segundo Padilha, essa quantia seria transferida em 2024, mas o governo decidiu fazer o pagamento já em 2023. Ao todo, a compensação será de R$ 27 bilhões até 2026.

“Tivemos uma reunião agora com o presidente Lula para discutir com ele o apoio necessário aos municípios brasileiros sobre a queda de arrecadação”, relatou Padilha na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada. “Presidente autorizou antecipar a compensação para 2024, para fazer já este ano. São R$ 10 bilhões”, completou o ministro.

Uma segunda medida decidida com Lula, segundo Padilha, foi aumentar os repasses do Fundo de Participação dos Municípios — verba paga pelo governo federal às prefeituras.

“A segunda medida é inserir uma compensação do FPM, uma parcela extra do governo federal que vai compensar a queda nos últimos três meses”, explicou.

Causa para a perda de receitas
No ano passado, o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que classificou como essenciais itens como diesel, gasolina, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo.

Com isso, foi fixado um teto para a cobrança de ICMS sobre esses produtos e serviços. O objetivo foi reduzir os preços, em especial os dos combustíveis, em um ano eleitoral.

Como foram obrigados a reduzir as alíquotas, os estados registraram perdas de receitas.

Paraíba.com.br

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS