Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

IFPB é mais uma instituição atingida pelos cortes na Capes e prevê problemas para pagamento de bolsas e programas

Cortes na Capes vão chegar aos R$ 116 milhões e também vão atingir a UEPB. Bloqueio dos recursos é uma tentativa do Governo Federal de cumprir metas orçamentárias previstas para este ano.

Publicado: 19/10/2023

FOTO: REPRODUÇÃO

Os cortes orçamentários feitos pelo Governo Federal na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação, vai causar problemas para o pagamento de bolsas e continuidade normal de programas no Instituto Federal da Paraíba (IFPB). A informação foi confirmada pela pró-reitora de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação da instituição, Silvana Costa.

Os cortes na Capes vão chegar aos R$ 116 milhões. O bloqueio dos recursos é uma tentativa do Governo Federal de cumprir metas orçamentárias previstas para este ano.

Silvana Costa contou que o IFPB tem editais lançados para consolidação de programas, mas que os cortes também vão afetar o cronograma desta ação.

“Os cortes devem atingir os programas de bolsas, bem como a internacionalização e programas voltados à educação básica. Estamos com editais já lançados para consolidação dos programas nota 3, que são em sua maioria no Nordeste, em atraso no resultado, devido a estes cortes orçamentários”, informou a pró-reitora.

De momento, a pró-reitora falou que ainda não é possível ter uma estimativa de quanto o IFPB vai deixar de receber com os cortes da Capes.

Problemas na UEPB

Já na UEPB, o pró-reitor de Pós-graduação e Pesquisa da instituição, o professor Francisco Jaime, disse que ainda é cedo para avaliar de maneira mais concreta os valores que a UEPB vai deixar de receber, mas que, previamente, alguns programas vão ser prejudicados.

“Ainda não é possível avaliar o impacto individualmente nas instituições, incluindo a UEPB. O corte de recursos, naturalmente, vai fazer algum programa, ou alguns programas, serem adiados ou não lançados. Mas, não acredito que as atividades em andamento, como o pagamento dos bolsistas atuais, seja de alguma forma prejudicado”, afirmou Francisco Jaime.

Em agosto, a Capes já havia sofrido um contingenciamento de R$ 86 milhões, segundo a presidente da Coordenação, Mercedes Bustamante.

Com Halan Azevedo

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS