Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Influenciador suspeito de estupros em série é denunciado por 17 mulheres em Fortaleza

O influenciador Thiago Ferrari já possuía antecedentes criminais por estupro de vulnerável, estupro, crime contra a dignidade sexual, violação de domicílio e furto.

Publicado: 08/03/2024

FOTO: REPRODUÇÃO

Desde a notícia da prisão de Thiago Ferrari, influenciador digital suspeito de cometer estupros em série em Fortaleza e em outros estados, outras mulheres fizeram denúncia contra ele. Até esta sexta-feira (8), 17 mulheres procuraram a Polícia Civil alegando serem vítimas dele.

Thiago foi capturado na casa onde morava, no Centro de Fortaleza. Na ocasião, os agentes apreenderam veículos, roupas usadas durante os crimes, celulares e uma pistola falsa. As imagens do momento da prisão do suspeito foram cedidas pela Secretaria da Segurança Pública com o rosto dele borrado.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito observava a vítima, obrigava-a entrar na própria casa dela e cometia o estupro, na maioria deles, na frente de familiares das mulheres. Durante os atos, o suspeito usava uma balaclava, uma pistola falsa e alegava pertencer a um grupo criminoso para ameaçar as vítimas, que têm de 15 a 40 anos, duas delas são mãe e filha.

“Ele abordava as vítimas de forma aleatória, no portão da casa delas e ameaçava dizendo que estava armado e era membro de uma facção criminosa. Depois da violência sexual, ele chegava a tirar foto das vítimas e roubava o celular da mulher”, disse o delegado Valdir Cavalcante de Paula Passos, titular da delegacia do 5º Distrito Policial.

Além da violência sexual, o influenciador é suspeito de obrigar as mulheres a enviar transferências de dinheiro para ele via Pix, para não divulgar as imagens íntimas delas que ele fazia durante os estupros.

A polícia também apurou que o homem usava diversos transportes, como carro, motocicleta e bicicleta para realizar os crimes e, após isso, se desfazia dos veículos.

“Para dificultar a identificação ele costumava usar veículos diferentes durante as abordagens. Em algumas delas ele estava de carro, em outra de bicicleta e até de moto”, relatou o delegado Valdir Passos.

Apesar de se apresentar como influenciador, com mais de 90 mil seguidores nas redes sociais, a polícia suspeita que o homem atuasse na venda de veículos fraudados, popularmente conhecido como “veículos de estouro”.

Com G1

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS