Psicólogo clínico da prefeitura de Matinhas, Raif Nóbrega, destaca ações do janeiro branco no município e pontua temas ligados a saúde mental

A campanha se encontra na sua nona edição e busca orientar, informar, levantar discussões sobre a importância dos cuidados com a saúde mental

Publicado: 06/01/2022

Psicólogo clínico da prefeitura de Matinhas, Raif Nóbrega (Foto: Se Liga PB)

O psicólogo clínico da prefeitura de Matinhas, Raif Nóbrega, em entrevista ao Programa Se Liga PB na manhã desta quinta-feira, 06, destacou as ações do janeiro branco realizadas no município e falou sobre pontos polêmicos e temas ligados a saúde mental.

O janeiro branco é uma campanha feita em todo o país por psicólogos, que remete a importância dos cuidados com a saúde mental, tendo em vista a simbologia de janeiro como início de um novo ano e consequentemente uma nova fase, como que um papel em branco para um recomeço.

A campanha se encontra na sua nona edição e busca orientar, informar e levantar discussões, mostrar para a população, para a sociedade e instituições, a importância dos cuidados com a saúde mental e nossa existência coletiva e individual.

Raif Nóbrega, destacou as ações realizadas no município de Matinhas quanto ao janeiro branco e disse que estão sendo realizadas campanhas através de palestras em ginásio, atendimento em um ambulatório de rua, salas de espera das Unidades Básicas de Saúde (UBS), acompanhamentos com a equipe multiprofissional de saúde e atendimentos nas áreas de psicologia, psiquiatria e neurologia.

O psicólogo ainda pontuou temas como depressão, ansiedade e a exposição das redes sociais. “Quanto mais vivemos em um mundo de ficção, mais empobrecida fica a nossa realidade”, alertou.

Também falou sobre depressão pós-parto, relacionamentos, sexualidade conjugal e violência contra a mulher, uma vez que, com a pandemia e o isolamento social, a convivência ficou mais acentuada no ambiente familiar e a violência vem crescendo a cada dia e muitas mulheres, por uma dependência psicológica ou financeira, se submetem a uma vida de abusos.

“Infelizmente em nossa sociedade muitas mulheres não falam, tem medo e receio em buscar ajuda. A nossa saúde mental, uma vez enfraquecida, debilitada, é necessário buscar ajuda. Buscar ajuda sempre”, pontuou o psicólogo.

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS