Patrick Dorneles informa que deixa PSD: “Continuo ao lado de Pedro e de Romero”

Patrick ressaltou que por não concordar com o posicionamento, deixa a legenda junto com Romero.

Publicado: 29/03/2022

Foto: Reprodução

O deputado federal Patrick Dorneles informou que não concordou com a decisão da sua legenda em destituir do comando na Paraíba o ex-prefeito Romero Rodrigues. “O PSD não poderia ter tomado essa decisão sem ouvir quem faz parte da legenda aqui no Estado”, falou.

Patrick ressaltou que por não concordar com o posicionamento, deixa a legenda junto com Romero. “Não sei para onde vou, mas jamais estarei contra quem me estendeu a mão e muito menos ao lado de quem é sinônimo de corrupção na Paraíba, representando a Calvário. Continuo ao lado de Pedro Cunha Lima e de Romero”, afirmou.

O parlamentar afirmou que sai triste do PSD, legenda que o recebeu muito bem em 2020 e principalmente ao tomar posso como Deputado Federal, chegando a ser vice-líder do partido na Câmara Federal.

Ele afirmou que na nova política, que faz parte, não cabe e não se admite golpes dentro de partidos para prejudicar candidaturas ou fortalecer grupos que não possuem ideologia ou identificação com a legenda, mas que querem comandar o destino político do estado. “Quem perde é o PSD. Romero é um grande quadro, alguém que mudou a história de Campina Grande. A ele deixo a minha solidariedade e reafirmo a minha lealdade e compromisso de caminhar junto”, destacou.

Patrick Dorneles é o primeiro parlamentar com doença rara no Congresso Nacional. Ele é referência na luta pelos direitos das pessoas com deficiência e doenças raras, graves e crônicas há mais de dez anos. É reconhecido internacionalmente pela sua atuação, homenageado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o prêmio Personalidade Que Se Doa. Ele convive com uma síndrome genética rara, Mucopolissacaridose IV-A.

Chagada à Câmara – Nas eleições de 2018, Patrick Dorneles obteve 13.809 votos, ficando como quinto suplente de deputado federal. Após Bruno Cunha Lima e Manoel Júnior assumirem mandatos eletivos de prefeitos, ele passou a ocupar a terceira suplência. Com a licença do titular, o deputado Pedro Cunha Lima, e o gesto do suplente Rafafá em abrir mão do mandato, Patrick foi convocado para assumir o exercício do cargo, em fevereiro deste ano.

Assessoria

COMPARTILHE AGORA

OUTRAS NOTÍCIAS